Especiais

Exclusivos do PS4 chegarem ao PC é um mau negócio?

Um levantamento dos últimos acontecimentos sobre o tema

por Raphael Batista
Exclusivos do PS4 chegarem ao PC é um mau negócio?

Detroit: Become Human, Horizon Zero Dawn e Death Stranding possuem algo em comum: todos foram exclusivos do PS4 por tempo determinado e receberam datas de lançamento para PC. É a primeira vez que a Sony decide investir esforços em colocar alguns dos seus grandes jogos em outra plataforma.

A mudança, claro, vem gerando muitas discussões. Enquanto uma parcela acredita que pode ser uma boa maneira de fazer determinados títulos ganharem mais adeptos, outros argumentam que a empresa estaria se distanciando da sua essência. Mas vamos tentar nos ater a alguns pontos e evidências e convidamos você para o debate.

O interesse parece ter aumentado

Os anúncios dos jogos para PC fizeram com que o volume de pesquisas por termos relacionados aos jogos em questão aumentassem. A ferramenta de planejamento de palavras-chave do Google nos “diz” que após os primeiros rumores, houve mais procura. O termo “Horizon Zero Dawn PC”, por exemplo, que antes tinha números entre 1 mil a 10 mil pesquisas, agora figura na casa dos 10 mil a 100 mil. Ou seja, a quantidade cresceu cerca de 10 vezes.

Vale lembrar que os rumores sobre a chegada de Horizon Zero Dawn ao PC começaram em janeiro de 2020. O anúncio oficial aconteceu no dia 10 de março.

O caso de Death Stranding é ainda mais interessante. Entre janeiro e novembro de 2019, o jogo registrou pesquisas de 100 mil a 1 milhão. Contudo, desde novembro até março, as procuras subiram para 1 milhão a 10 milhões. O anúncio para PC potencializou muito as buscas e o interesse em volta do jogo de Hideo Kojima. Lembrando: o anúncio aconteceu em 3 de março.

Detroit: Become Human é o único título dentre os selecionados que já está lançado para o PC. Não temos uma métrica de vendas na Epic Games Store, no entanto a Quantic Dream possuía boas expectativas quando o game chegou ao PC em 12 de dezembro. Até aquela época, o game havia vendido 3.2 milhões de unidades e era esperado chegar próximo de 5 milhões com o port para a PC.

Os números nos sugerem que parece haver uma demanda por estes jogos no PC. E quanto mais vendas, mais – supostamente – a Sony poderia lucrar e reinvestir na criação de outros títulos tão importantes quanto. É mesmo um ciclo. Obviamente, tudo isso pode não passar de “fogo de palha” e não se converter em vendas. Só o tempo dirá.

A parte dos desenvolvedores

Aparentemente, os desenvolvedores gostam da ideia dos exclusivos chegarem ao PC. O próprio Cory Barlog, diretor de God of War, disse que “amaria ver o jogo na plataforma”. No entanto, a decisão pertence somente à Sony e não se trata exclusivamente do desejo dos produtores.

https://twitter.com/corybarlog/status/1189014636902830081

Hermen Hulst, o chefe da PlayStation Worldwide Studios e também o diretor de Horizon Zero Dawn, destacou a importância de estar “aberto a novas ideias para atrair mais pessoas para a plataforma PlayStation e mostrar o que elas estão perdendo”. Foi dessa forma que ele justificou o lançamento do título da Guerrilla Games para PC.

No entanto, o próprio Hulst tranquilizou quem pensa que não haverá mais exclusivos. Ele definiu Horizon Zero Dawn ser um caso muito específico para essa ação e a SIE continua “100% comprometida no hardware dedicado”.

A parte da comunidade

Nós fizemos essa pergunta lá no Twitter do MeuPlayStation. Questionamos a opinião de alguns sobre possibilidade de exclusivos chegarem ao PC. Os jogadores parecem estar um tanto quanto divididos.

Uns usuários disseram que “odeiam a ideia porque os consoles servem para jogar os exclusivos”. É um argumento “consolista” sempre evocado por donos de PS4 e Xbox One. Afinal, pensando em preços, jogos multiplataformas são mais em conta no PC. No entanto, os grandes estúdios first-party são concentrados nos videogames convencionais.

Por outro lado, tem gente que visa o lado financeiro que poderia auxiliar os estúdios. Com um público maior, os desenvolvedores poderiam explorar novas oportunidades e criar experiências mais abrangentes ou até aumentar a quantidade de lançamentos por ciclo.

Parece nã0 haver um consenso, mas a maioria está mais propensa a recusar a chegada dos exclusivos ao PC.

Os rumores

Ontem (15), a Amazon francesa listou o lançamento de Days Gone e Persona 5 Royal para o PC. A varejista é conhecida por vazar informações antes da hora (e quase sempre são certeiras). Embora a Sony já tenha esclarecido a situação e negado essa possibilidade, fica o questionamento: de onde surgiu essa ideia?

A SEGA disse que a varejista “errou” e faria uma investigação para descobrir os motivos pelos quais houve essa listagem. No entanto, a dúvida paira sobre o ar: será que a empresa tem a informação de títulos que chegarão ao PC no futuro? São perguntas sem respostas.

Analistas de várias empresas já previram essa mudança de paradigma. Um dos grandes candidatos para o PC é Dreams, segundo Tom Phillips da Eurogamer. Ele destacou que Horizon: Zero Dawn foi apenas o “início” de uma série de jogos para o hardware.

O que será que vem pela frente?

Até o momento, ficamos no campo das possibilidades e com vários questionamentos sobre o futuro. Em termos técnicos (falando sobre dinheiro e relevância), a chegada de exclusivos ao PC parecem ser favoráveis. Contudo, nem tudo são números. Com uma comunidade tão apaixonada que defende a marca com unhas e dentes, esta decisão pode frustrar quem fala com tanto orgulho dos exclusivos.

De qualquer forma, a Sony tem um caminho curioso pela frente. A companhia já prometeu “expandir a oferta de exclusivos no PS5”. Essa política causaria uma abertura para os exclusivos do PS4 chegarem ao PC? O tempo responderá todas as perguntas.

Esperamos vocês nos comentários.