Review

GTA V no PS5: vale a pena?

GTA V possui melhorias que tornam a experiência bastante agradável, mas se mostra desgastado com o tempo

por André Custodio
GTA V no PS5: vale a pena?

Parece que a Rockstar Games continua investindo todos seus esforços em GTA V. Isso porque, após quase dez anos de lançamento e ports de destaque no PS3 e PS4, o título ganhou a versão definitiva para PS5, contando com diversas promessas de melhorias e inovações.

Bom, mas quem poderia julgar a publisher por permanecer apostando no jogo? De forma concreta, são mais de 160 milhões de cópias vendidas, picos de mais de 150 mil jogadores diários em GTA Online, e um multijogador com suporte regular e conteúdos semanais. Teria como isso dar errado nas plataformas de nova geração?

Infelizmente, GTA V enfrenta um dos adversários mais cruéis não apenas para a indústria, mas também para a própria humanidade: o tempo. Assim como houve com Skyrim, Resident Evil 4 e outros games que se alongaram entre gerações, os efeitos começaram a ser sentidos, apesar de estarem escondidos por uma leve maquiagem no PlayStation 5.

Mas chega de conversa. Vamos agora para a pergunta que não quer calar: o upgrade de nova geração vale a pena? Confira abaixo uma análise estritamente técnica — afinal, praticamente todos já conhecemos a história — para você saber como o game está rodando no PlayStation 5.

Los Santos vive… E muito!

Começar a falar de GTA V sem descrever a sensação magnífica que é explorar a viva cidade de Los Santos seria impossível. Na versão de PS5, a cidade dos sonhos permanece incrivelmente fluida, com sua passagem do tempo afetando a dinâmica de todos os NPCs, diálogos, vestuário do trio de protagonistas e outros eventos.

Mesmo para leigos na franquia, dirigir ou caminhar pelas ruas da cidade é surpreendentemente acessível. Observar luzes de prédios, aglomerados de estrelas, o movimento das águas e o trânsito caótico é voltar ao ano de 2013 e reviver as mesmas sensações, porém com visuais retrabalhados para a nova geração.

gta v
Captura de tela de GTA V

Por muitos momentos, os jogadores podem se ver escapando das missões principais e atividades para realizar caminhadas pelos bairros. As conversas de NPCs, agora com áudios aprimorados, são extremamente divertidas e enriquecedoras, desenvolvendo uma sensação acolhedora de familiaridade e de vizinhança.

As escolhas de modos gráficos

O upgrade de nova geração permite a escolha de uma entre três opções gráficas distintas: Modo Fidelidade, Modo Desempenho e Modo Desempenho com Ray Tracing. Essas possibilidades podem ser alternadas a qualquer momento da jogatina e atuam de forma instantânea nas configurações, sem a necessidade de carregamento ou reset de save.

Entre os três modos, o Fidelidade entrega menos alterações perceptíveis, já que seus ajustes navegam entre resolução 4K nativa e 30 FPS de performance. Essas configurações se assemelham consideravelmente à versão de PS4 Pro, mas diferenciando-se por detalhes significativos de iluminação, sombras, reconstituição facial e texturas globais.

gta v
Captura de tela de GTA V

Porém, o grande charme do update fica por conta dos 60 FPS. Esse ajuste de taxa de quadros faz toda a diferença em qualquer ação executada no game, seja durante o tiroteio, corridas ou caminhadas por locais de alta densidade populacional. O Desempenho corrige automaticamente a resolução para 4K dinâmico, sem oferecer grandes perdas visuais.

Já a presença da tecnologia ray tracing é um grande mistério. Com ela habilitada, os 60 FPS e o alcance dinâmico de 4K permanecem consideravelmente estáveis, mas não há adições relevantes em reflexos, iluminação e efeitos de traçado de raios. Em resumo, é possível observá-la discretamente em locais de frequente visitação, como abrigos, pontos de missões e outros, assim como em modelos de carros mais robustos e efeitos de LED/neon.

Animações desastrosas

As animações prejudicam muito a experiência de nova geração. Michael possui expressões faciais imóveis e semelhantes às dos bonecos que atuaram em Jump Force. A dublagem, apesar de permanecer excepcional, já não conta com o mesmo ritmo e incomoda bastante devido à falta de sincronia labial.

gta v
Captura de tela de GTA V

Em 2013, as cenas fora de gameplay transpareciam um aspecto cinematográfico e tinham fortes elementos de storytelling, mas é impossível negar que a tremedeira na câmera não se ajusta às técnicas modernas de fotografia. Como resultado, as tramas principais tornam-se desinteressantes e há um forte impulso para saltar as animações.

Gameplay: um olho no peixe e outro no gato

Em Los Santos, a dirigibilidade de veículos permanece intuitiva e progressiva, com os protagonistas desenvolvendo habilidades no volante a partir do destravamento de atributos de status. Porém, os momentos a pé começam a mostrar graves deficiências e criam uma sensação de peso, especialmente durante ações em 360º que exigem reações rápidas.

Uma das maiores deficiências de GTA V retorna na versão de nova geração. Apesar do campo de visão e interação com a HUD não atrapalhar jogadores veteranos e recorrentes, novatos no game podem se irritar com a falta de foco, já que há a exigência de se ver muitas coisas ao mesmo tempo.

GTA V
Captura de tela de GTA V

Em 90% das missões (ou mais), os protagonistas dirigem carros, conversam com outros personagens, atendem telefones, leem mensagens e guiam veículos para pontos de interesse. E, especialmente para brasileiros com pouca fluência na dublagem em inglês, esses momentos forçam a perda de muita lore.

Isso porque, é preciso tomar decisões muito complicadas. Ou os jogadores olham para o veículo, ou observam o mapa para se guiarem pelas rotas ou leem as linhas de diálogo localizadas em PT-BR no canto inferior da tela. Talvez, a Rockstar poderia pensar em melhorar esse aspecto.

E o DualSense?

Em GTA V, o primeiro contato com o DualSense já é um “bem-vindo à nova geração”. Os gatilhos adaptáveis funcionam a todo instante, influenciando na cadência de tiro de acordo com cada tipo de arma. Assim, equipamentos com mecanismos de rajada impactam os cliques de uma forma diferente de armas com modo semiautomático, por exemplo.

Dirigir com o controle do PS5 é extremamente divertido, pois cada movimento traz uma resposta diferente do joystick. Durante o gameplay, você sentirá os efeitos de pistas irregulares, tração dos carros, intensidade dos danos, tipo de freios, passagens de marcha e outros sistemas, garantindo experiências variadas para cada situação de jogo.

gta v
Captura de tela de GTA V

Além disso, o áudio 3D se faz presente no gameplay, para trazer ainda mais imersão ao jogador. Acelerações de supercarros, o barulho dos tiroteios… é possível perceber exatamente de onde vêm esses ruídos. Isso faz o player se sentir na pele de Michael/Trevor/Franklin em Los Santos.

GTA V no PS5: vale a pena?

Após quase dez anos de vida, GTA V surpreende e prova que ainda tem muito asfalto para queimar. Apesar disso, ainda existem problemas na versão de PS5, como a datação de animações, peso dos personagens e poucas novidades gráficas.

Por ser um upgrade pago — R$ 53 para quem já possui o jogo — esperava-se que a Rockstar entregasse mais. Claro, as melhorias do DualSense e de hardware, como o carregamento rápido, aprimoram muito a experiência, mas pode incomodar quem busca inovações em experiências de nova geração.

Veredito

GTA V
GTA V

Sistema: PS5

Desenvolvedor: Rockstar Games

Jogadores: 1

Comprar na Amazon
75 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Muitas melhorias com os 60 FPS
  • Três opções de modos gráficos
  • Recursos aprimorados via DualSense
  • Carregamento rápido
  • Exploração ainda divertida
Desvantagens
  • Animações datadas
  • Tecnologia ray tracing pouco aproveitada
  • Mapa carece de renovação
  • Upgrade pago para poucas diferenças
André Custodio
André Custodio
Redator
Publicações: 449
Jogando agora: Elden Ring
Redator fã de RPG, soulslike e jogos que fazem rebolar o controle no chão. Larguei FIFA por motivos pessoais (ruindade) e curto platinar uns single player com 120 horas de jogatina.