Review

TemTem: vale a pena?

"Pokémon no PlayStation?" é uma pergunta que resume bem a experiência com TemTem

por Thiago Barros
TemTem: vale a pena?

“Que jogo é esse? Pokémon?”: a pergunta da minha esposa ao ver TemTem rodando na TV de casa resume o que é o título desenvolvido pela Crema e publicado pela Humble Bundle. É um MMO em que você controla um jovem que viaja pelo mundo capturando bichinhos com habilidades especiais e usando-os em duelos contra outras pessoas.

Exatamente a mesma premissa de Pokémon – e muito mais do que isso. Os mapas, a dinâmica, os itens, a movimentação… Tudo lembra demais Pokémon Let’s Go – mais ou menos como Immortals Fenyx Rising em relação a The Legend of Zelda: Breath of the Wild. Então, sua relevância vai depender muito do que você acha da famosa série da Game Freak.

Quem gosta muito de Pokémon e quer jogar algo parecido, vai curtir. Se adora Pokémon, mas só de Pokémon, vai achar TemTem apenas uma “cópia barata”. Se nunca jogou, vale se aventurar. É uma experiência que pode ser muito divertida e desafiadora. E obviamente, não gosta, aí não preciso nem dizer, né?

TemTem (os que pegar)

A história de TemTem é bem simples: você cria um personagem, com seu nome e características físicas que definir, e é convidado por um professor a pegar seu primeiro bichinho e sair explorando o mundo. Há várias cidades, com dojôs que têm mestres que o jogador deverá derrotar, enquanto vai evoluindo seus TemTem.

TemTem permite escolha do primeiro bichinho
TemTem permite escolha do primeiro bichinho (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Ou seja, é igual a Pokémon. Com novos termos e algumas diferenças de gameplay, mas:

Temtem = Pokémon
Tempédia = Pokédex
Professor Konstantinos = Professor Carvalho
Zadar = Pallet
Max = Gary
TemCard = Pokébola
Dojô = Ginásio

As coisas funcionam assim: seu personagem vai andando pelas cidades e dungeons, onde pode capturar novos temtem e desafiar vários outros treinadores. O objetivo é tornar-se o principal treinador de temtem desse mundo, pegando o máximo de criaturinhas possível e fazendo elas evoluírem, além de vencer os rivais, como Max.

Duelo entre temtem são bacanas, mas repetitivos
Duelo entre temtem são bacanas, mas repetitivos (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Cada bichinho tem habilidades específicas, de diferentes “tipos”. Por exemplo, um “elétrico” dá mais dano em um voador. No começo da jornada, você pode escolher um dentre três opções e, a partir daí, vai coletando novos e montando seu time de até seis personagens para as batalhas pelo mundo. Além disso, alguns são mais raros do que os outros e têm locais específicos para nascer.

Há também itens, como poções, “reviver” e outros que modificam a dinâmica do game. E um ponto que merece destaque é a localização para o português do Brasil nos textos. Alguns bem bacanas, como o uso da frase “Vem que Tem” para os duelos.

Vem que Tem!

Obviamente, nem tudo é exatamente a mesma coisa da série da Nintendo. E que bom! Porque há algumas melhorias bacanas. Como na dinâmica das batalhas, que podem ter até dois personagens de cada lado ao mesmo tempo.

Comparação é inevitável entre Pokémon e TemTem
Comparação é inevitável entre Pokémon e TemTem (Fotos: Nintendo e Thiago Barros)

Além disso, há ainda sidequests que tornam TemTem bem mais interessante. A funcionalidade coop é inspirada em Pokémon Let’s Go, mas também merece ser citada: permite batalhar e trocar criaturas com os seus amigos. O mundo é bem “vivo”, cheio de outras pessoas passando por você a todo momento – dá para usar emotes e interagir com elas, o que é bem bacana.

E vale lembrar que a aventura ainda é um early access, com promessa de mais conteúdo no futuro para torná-lo mais robusto.

Há alguns problemas, no entanto. Primeiro: o excesso de treinadores para batalhar em alguns momentos quando você só quer chegar a um determinado lugar. Sem falar em bichos selvagens aparecendo.

Exploração e captura de temtem é fundamental
Exploração e captura de temtem é fundamental (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

A história e os diálogos também são bem simples, nada de muito destaque. Assim como o visual, cartunesco, até bonito, vivo, mas que é limitado pela câmera mais old school. Se fosse um mundão aberto, como Immortals, do qual já falamos aqui, ou até mesmo usando uma pegada mais dos recentes Pokémon Shield e Sword, poderia ser mais atrativo.

TemTem: vale a pena?

No começo, é até legal… Depois, fica extremamente repetitivo e pode fazer o jogador ficar cansado de fazer o mesmo processo toda hora.

São cerca de 30 horas de aventura, em quatro das seis grandes ilhas disponíveis no jogo, e repetir o grind em todas elas exige paciência. Especialmente se você quiser coletar os cerca de 100 bichinhos disponíveis.

Jogo tem desafios interessantes
Jogo tem desafios interessantes (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

O grande ponto é que a maioria dos RPGs conta com variadas atividades. Inimigos bem diferentes. Exploração rica. Diversos atrativos. TemTem, assim como Pokémon, não. É só capturar bichinho e lutar com treinador.

Com um puzzle aqui, uma dungeon ali, e é isso. Ande, capture, lute. Vá pra outra cidade. No caminho, capture e lute. Chegando lá, lute. Coloque no repeat e você tem aí as dezenas de horas de jogo. Tem quem ame. Tem quem ache um porre.

Nesse meio termo, espere uma promoção. Afinal, ele custa R$ 214,90 na PSN.

Evolução é o que se espera dos temtem e de Temtem
Evolução é o que se espera dos temtem e de Temtem (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

E não possui aquele apelo emocional que Pokémon tem para muita gente por causa da infância. Aqui, você não sabe as criaturinhas de cor e salteado, nem lembra das cenas inesquecíveis do desenho ou tem memória afetiva dos vários jogos de antigamente.

É algo tentando criar isso para uma nova geração. E tomara que consiga! Afinal, há espaço para tal, especialmente no PlayStation. Talvez, com algumas features para fazê-lo se diferenciar um pouco e sair da sombra do “concorrente/inspiração”, ele consiga se firmar.

Veredito

TemTem
TemTem

Sistema: PS5

Desenvolvedor: Crema

Jogadores: 1

Comprar na Amazon
77 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Variedade de monstrinhos
  • Personalização do personagem
  • Jogabilidade bem simples de pegar
  • Sidequests deixam o jogo mais dinâmico
  • Fator multiplayer faz o game ser mais divertido
Desvantagens
  • Gameplay pode se tornar extremamente cansativo
  • Semelhanças com Pokémon podem incomodar
Thiago Barros
Thiago Barros
Editor-Chefe
Publicações: 1.854
Jogando agora: Deathloop
Jornalista, teve PS1, pulou o 2, voltou no 3 e agora tem o 4, o 5 e até o PSVR. Acha God of War III o melhor jogo da história do PlayStation.