Review

MLB The Show 22: vale a pena?

Nova edição do game de baseball alterna entre novidades bacanas e mais do mesmo

por Thiago Barros
MLB The Show 22: vale a pena?

MLB The Show 22 é o melhor jogo de baseball que já vimos nos videogames. Só que será que isso quer dizer muita coisa?

Disponível agora, o game é mais uma edição anual do ótimo trabalho feito pelos estúdios de San Diego da Sony. Com algumas evoluções claras em relação a seu antecessor e outros pontos em que, honestamente, parece ser o mesmo jogo, ele chega ao mercado como um ponto de interrogação.

Será que vale a pena? Será que não dava para inovar um pouco mais? Será que é o bastante para justificar o upgrade de MLB The Show 21? Será que ele pode furar a bolha e alcançar um público diferente? As respostas você confere nessa análise.

Mais do mesmo – só que mais bonito

A parte visual é o que mais se destaca em MLB The Show 22 se compararmos o jogo ao título anterior da série. Há mais animações, movimentos mais fluidos e uma ambientação mais realista, além de gráficos melhores no geral. Os atletas parecem mais “vivos”, mesmo ainda não estando no nível de alguns dos outros principais games de esportes do mercado.

1

E aqui vale um parênteses para um título que poderia servir de inspiração para o jogo oficial da Major League Baseball em muitos aspectos: a franquia da 2K Sports para a National Basketball Association, ou NBA. Em jogabilidade, talvez MLB seja até melhor do que NBA 2K. Só que a apresentação e o modo como o conteúdo do basquete é apresentado…

Obviamente, MLB The Show 22 tem uma dificuldade maior: o baseball não é tão popular mundialmente quanto o basquete – e o jogo pode parecer até bem chato para quem não curte ou não conhece. Uma partida pode demorar muito (muito mesmo) e ter pouquíssima ação. Isso é algo que já prejudica o esporte na vida real e se traduz nos jogos eletrônicos.

2

Para jogar um Modo Carreira ou Modo Franquia em MLB The Show 22, você precisa ter tempo e paciência. Especialmente porque eles não possuem aquela pegada narrativa forte, interações e conteúdos extras. São experiências muito bem feitas, realistas e, novamente, com gameplay maravilhoso. Só que falta o toque cinematográfico que outras franquias têm.

Seja para “dar um respiro”, seja para ter opções de cenários específicos com os desafios pré-definidos. Especialmente no Modo Carreira, fica a impressão de que poderia haver mais inovações. Por outro lado, é importante elogiar como o modo March To October é divertido. Justamente por ter jogos mais curtos, que têm objetivos claros e geram um maior interesse do jogador em progredir.

3

Além disso, o Diamond Dynasty segue como maior foco – semelhante ao FUT no FIFA ou MyTeam no NBA. Colecione cartinhas, dispute modos de jogo no próprio modo (online e offline), ganhe recompensas e melhore seu time. Uma fórmula batida, mas que dá certo e tem alto fator replay. Especialmente agora com as novas Mini Season e os Programas mais dinâmicos e com melhorias nos prêmios por alcançar suas metas.

Vale citar ainda algumas novidades importantes, como a rebatida com o novo PCI Anchor, que é uma espécie de “trava” numa direção para o seu rebatedor, que torna as coisas bem mais simples. Além disso, enfim chegou um modo de coop online (2×2 e 3×3) e o Modo Franquia tem algumas novas opções para o jogador que curte gerir uma equipe. Só que nada disso é de saltar aos olhos e fazer com que a impressão de estar jogando um MLB The Show 21,5 passe.

4

No fim das contas, parece que MLB The Show 22 é mais do mesmo, só que mais bonito. O que já até é uma evolução satisfatória, mas que pelo preço cobrado (R$ 350 na versão de PS5) e pelo fato de ser voltado a um público muito específico, pode fazer com que ele não seja lá um grande sucesso. Pelo menos, não aqui no Brasil. Nos Estados Unidos, que é o real foco do game, é possível que ele ainda alcance uma galera, pelo sucesso do esporte e pela questão do preço não atrapalhar tanto.

MLB The Show 22: vale a pena?

O mais legal de MLB The Show 22 é o fato de ele estar buscando alternativas para se tornar mais acessível. Como os vídeos de gameplay lançados alguns dias antes do seu lançamento, explicando um pouquinho da mecânica para quem não está tão acostumado. Como as opções de dificuldade bem ajustadas.

5

Só que, ainda assim, ele é um jogo extremamente inchado. Especialmente para o público brasileiro, que não conta sequer com uma localização parcial. Tudo é em inglês, o baseball é um esporte pouquíssimo popular por aqui e a dinâmica do jogo não é das mais amigáveis para quem não entende do esporte. Fora que a conectividade online é péssima, pelo fato de pouca gente daqui jogar e você ter que enfrentar adversários estrangeiros – como normalmente acontece com NBA 2K e Madden NFL também.

De qualquer forma, a experiência de um strike out ou de um home run ainda é muito bacana em MLB The Show 22. Para quem ama o baseball, é realmente o melhor que já tivemos traduzido nos games. Variações de movimentos, equipes atualizadas, diversos jogadores lendários no Dynasty… Tudo o que você deseja de um jogo assim. E, nesse caso, vale muito.

Veredito

MLB The Show 22
MLB The Show 22

Sistema: PlayStation 5

Desenvolvedor: San Diego Studio

Jogadores: 1

Comprar na Amazon
80 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Apresentação e gráficos estão melhores
  • Modo March To October é muito divertido
  • Diferentes opções de dificuldade são bem-vindas
  • Variedade de modos de jogo também agrada
  • Gameplay é excelente
Desvantagens
  • Poucas mudanças significativas
  • Modo Carreira segue pouco atrativo
  • Nenhuma localização para o Brasil
  • Jogar online é praticamente impossível
Thiago Barros
Thiago Barros
Editor-Chefe
Publicações: 1.932
Jogando agora: Ghostwire Tokyo
Jornalista, teve PS1, pulou o 2, voltou no 3 e agora tem o 4, o 5 e até o PSVR. Acha God of War III o melhor jogo da história do PlayStation.