Review

Marvel’s Avengers: vale a pena?

Jogo diverte e vai ser uma boa opção para fãs, mas sofre com problemas técnicos

por Thiago Barros
Marvel's Avengers: vale a pena?

Não há dúvidas de que os Vingadores estão entre os maiores fenômenos do entretenimento da geração. Com uma série de filmes que fez cinemas ao redor do mundo ficarem abarrotados e atores tornarem-se celebridades globais, o Universo Marvel atingiu o seu ápice. Mas, claro, não poderia faltar um Marvel’s Avengers nos videogames, não é mesmo? Pois bem, chegou a hora.

Desde 2012, quando The Avengers estreou nas telonas, havia essa expectativa. Oito anos depois, com a saga cinematográfica concluída, enfim a Crystal Dynamics realiza o sonho dos gamers fãs de super heróis. Reunindo um elenco galáctico de personagens icônicos (com promessa de trazer ainda mais no futuro), “introduzindo” uma nova estrela e com uma história totalmente original.

Não tinha como dar errado, né? Bem… Não é que seja uma decepção (apesar de muita gente, provavelmente, ver assim), mas vamos por assim: dificilmente, o jogo dos Vingadores vai ser tão aclamado quanto os filmes. Em parte, por falhas técnicas, em outra simplesmente por ser de um gênero que não era o que uma boa parte do público esperava.

Ainda assim, é mais um capítulo, super justo, dessa saga que cativou mentes e corações ao longo dos últimos anos.

Destiny, não Spider-Man

A estrela da campanha de Marvel’s Avengers é Kamala Khan. O modo, que é bem curtinho (cerca de sete a oito horas), gira em torno do arco da história da personagem. Obviamente, os Vingadores (Hulk, Iron-Man, Viúva Negra, Thor e Capitão América) também fazem as suas aparições e possuem certo protagonismo, mas é a Miss Marvel quem rouba os holofotes.

Marvel's Avengers
A história começa com Kamala no A-Day (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Como todo mundo já sabe, tudo começa no A-Day, uma grande celebração dos Avengers, em que eles estão prestes a fazer um anúncio significativo. Porém, um ataque terrorista acaba fazendo o dia ser uma tragédia, com a cidade de San Francisco sendo dizimada, o Cap América morto e os heróis sendo vistos pela população como vilões.

Kamala é uma das “vítimas” do que aconteceu. Uma explosão fez com que diversas pessoas fossem “contaminadas” e ganhassem vários “super poderes”. E aí começam os clichês. Elas são vistas como “inumanos”, rechaçados pela comunidade e por uma organização que é chamada de “AIM” e pretende “curá-los” para deixar a sociedade livre dos perigos desses poderes.

Seu papel é… adivinhe só… criar uma “resistência”. Libertar os “inumanos” presos pela AIM e descobrir as reais motivações dos vilões. Honestamente, a história não é ruim, mas a frase principal de Kamala, de que “o bem não é algo que você é, é algo que você faz”, é uma prova grande do quão batidas algumas partes dela são.

Marvel's Avengers
Você deve ir atrás de aliados pra sua causa (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Por outro lado, se o enredo não é lá essas coisas, a narrativa é interessante. A forma como tudo se desenrola, como os heróis entram na trama, como Kamala vira a Miss Marvel e “entra pro time”… Tudo isso é muito bem feito. Os personagens, inclusive, estão muito bem caracterizados, de acordo com tudo o que já conhecemos do perfil de cada um deles.

Há algumas sequências memoráveis, como uma do Iron-Man ao som de Iron Maiden e a aparição de Thor, outras bem manjadas, tipo Kamala falando sobre a importância dos super-heróis para o mundo. No fim das contas, o ritmo da narrativa compensa bem pelo seu tempo curto e abordagem clichê.

A grande questão, porém, é que a campanha é “um mero detalhe” de Marvel’s Avengers. O jogo não é como Marvel’s Spider-Man, que possui um mundo aberto, uma história longa e sidequests. Ele leva mais para uma pegada Destiny. Há vários “destinos” com missões, strikes e quests específicas. Você vai seguindo, cumprindo objetivos, ganhando novos loots e evoluindo seu personagem.

Marvel's Avengers
Marvel’s Avengers tem muita customização (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Então aqui já fica um alerta: quem espera uma aventura na pegada dos jogos de super-heróis que ficaram famosos nos últimos anos, certamente irá se decepcionar. Agora, quem curte algo mais voltado pra grind, RPG, coop, e aquele estilo mais repetitivo de jogo, vai provavelmente perder horas e horas e horas e mais horas no game.

Altos e baixos

Depois dessa big picture, hora de entender onde Marvel’s Avengers acerta e onde deixa a desejar. Em termos de gameplay, por exemplo, há pontos que são bem característicos justamente desse gênero. O grind, por exemplo, pode ser empolgante ou um porre. Mas, quando você tem amigos, ou até mesmo desconhecidos, mas motivados, no coop, é difícil ser ruim.

Marvel's Avengers
Marvel’s Avengers tem missões definidas (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

O grande perigo, claro, é tornar-se repetitivo. A Crystal Dynamics promete que não. A empresa garante que há um roadmap repleto de conteúdo para o futuro – inclusive com o Spider-Man chegando exclusivamente ao jogo no PS4. E em DLCs gratuitos. Ou seja, promete. Mas só para quem tiver paciência e curtir o estilo repetitivo das missões e dos próprios combates.

As batalhas são divertidas, especialmente quando se combina os vários personagens, seja com bots ou com outros players, porém, suas mecânicas não mudam muito. Entre os heróis, sim, é preciso ter uma estratégia para cada um. É diferente jogar com o Iron Man e com Hulk, por exemplo. Saber as características de cada é fundamental.

Os comandos são os mesmos: quadrado pra golpe leve, triângulo pra golpe pesado, R1, L1 e os dois apertados juntos para habilidades especiais. Mas há muitas variações. Thor e Iron-Man voam, Hulk esmaga, Kamala tem braços e pernas que se esticam… Essa variação diverte e deixa a experiência super divertida. Especialmente no coop.

Marvel's Avengers_20200903172811
Combates intensos marcam jogo dos Avengers (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Contudo, no geral, quando se compara uma luta contra a outra, um cenário com o outro, é tudo muito parecido. O level design não tem grandes alterações de uma fase para a outra em Marvel’s Avengers. Novamente, algo relativamente comum nesse tipo de jogo, mas que pode ser resolvido com updates que tragam mais conteúdo – e é isso o que a comunidade mais espera.

Especialmente em termos de personagens, sejam jogáveis, sejam vilões. As boss battles, por exemplo, são levemente decepcionantes – deixando um gostinho de quero mais. Mas é preciso seguir evoluindo, seguir jogando missões separadas, aproveitando o multiplayer, grindando e evoluindo seu herói para os desafios end-game já disponíveis e que ainda estão por vir.

Marvel's Avengers
Marvel’s Avengers permite mudar o visual dos heróis (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

A grande mensagem aqui é: quando a campanha acaba, o jogo está só começando. Muita customização para todos os personagens, seja visual, seja em equipamento, seja em skills, seja em outfits e itens cosméticos (onde há microtransações), além das missões específicas deles e dos desafios feitos para coop. A variedade está lá. Resta saber o quanto ela conseguirá prender os jogadores sem novidades.

Luzes, câmera… Ação!

A ação é intensa e não falta. A jogabilidade é simples, apesar de ser interessante treinar para dominar cada personagem, há um nível de desafio bacana, mesmo com as repetições de inimigos e cenários, e quem curte os Vingadores vai gostar de cair na porrada usando seus heróis favoritos em Marvel’s Avengers.

Marvel's Avengers_20200903173103
Sequência do Iron Man no espaço é incrível (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Porém, quando falamos da parte de “Luzes e Câmera”, a coisa muda de figura. A Crystal Dynamics deixou a desejar em pontos técnicos importantes. O desempenho do jogo é muito abaixo do que já vimos nessa geração – especialmente recentemente, com The Last of Us Parte II e Ghost of Tsushima, mas até do próprio Marvel’s Spider-Man, que era um deleite visual.

Os cenários até não são ruins, e os efeitos visuais dos golpes, por exemplo, também não. Contudo, o visual dos personagens, mesmo melhorando após o trailer de revelação (que recebeu uma chuva de críticas por isso), não está no nível que se espera de um jogo tão hypado quanto o dos Vingadores.

Mais do que isso, o desempenho do game, mesmo em um PS4 Pro, também decepciona. Há quedas de framerate com certa frequência, especialmente durante combates com muitos inimigos, e travamentos que fazem com que o jogo tenha que ser reiniciando. Aconteceu três ou quatro vezes durante o gameplay da campanha nos testes do MeuPlayStation.

Marvel's Avengers
Bug deixou o jogo em primeira pessoa (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Outros pontos que aconteceram foram os personagens sumirem e a câmera ficar “em primeira pessoa” (não, não era a invisibilidade da Viúva Negra), itens comprados com vendedores não irem pro inventário, diálogos em que heróis apareciam usando skins diferente das habilitadas…

Esse aspecto “técnico” é onde o título mais decepciona. A história clichê passa, o visual dos personagens dá pra relevar e o gameplay repetitivo é esperado nesse tipo de jogo. Até a dublagem, que é super genérica e não é tão boa quanto a de muitos outros jogos, pode passar batida. Agora, a essa altura do campeonato, ter problemas com jogo crashando/travando toda hora…

Por outro lado, essas questões levantam uma dúvida pertinente: será que isso acontece porque o jogo está “capado” e será bom mesmo, com todo o seu potencial, no PlayStation 5? Esperamos que sim. Porque ele tem muito potencial para tal. Se esses pequenos problemas forem corrigidos e houver mesmo um plano de conteúdo adicional robusto, certamente dará muito certo.

Marvel’s Avengers: vale a pena?

Tem suas falhas, sim, mas não dá pra dizer que Marvel’s Avengers não vale a pena. Especialmente para quem curte jogos de loot, com estilo RPG, e, claro, os personagens dos Vingadores. O que anima é que suas principais falhas parecem facilmente ajustáveis com um update aqui e outro ali, sem falar no seu roadmap de DLCs grátis que parece bem interessante.

Marvel's Avengers
Marvel’s Avengers: vale a pena! (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

No fim das contas, o trabalho da Crystal Dynamics é justo, mas não tente compará-lo à série Batman Arkham, por exemplo, ou até ao recente Marvel’s Spider-Man. São propostas totalmente diferentes. É bem verdade que, mesmo dentro do seu nicho, Avengers não se destaca tanto quanto os outros, mas não é um jogo ruim.

E você consegue encontrá-lo por um preço que ainda não ultrapasse os R$ 300, especialmente se comparado a outros lançamentos que vêm aí….:(  Nesse link, por exemplo, tem a versão steelbook por menos de R$ 250. Desde que você saiba exatamente o que esperar dele. Mesmo que espere uma promoção ou o PS5, vale a pena.

Veredito

Marvel's Avengers
Marvel's Avengers

Sistema: PS4

Desenvolvedor: Crystal Dynamics

Jogadores: 1-4

Comprar na Amazon
76 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Variações de gameplay entre os personagens
  • Customizações de equipamento e skills
  • Expectativa de conteúdo para o futuro
  • Ritmo da narrativa e trocas entre personagens
  • Multiplayer funciona muito bem
Desvantagens
  • Missões podem ficar bem repetitivas
  • Muitos bugs e travamentos
  • Visual dos personagens decepciona
  • Campanha curta com enredo clichê