Review

Just Dance 2018: Vale a Pena?

Mais chiclete que Despacito...

por Thiago Barros
Just Dance 2018: Vale a Pena?

Just Dance 2018 é um game de dança, então nada melhor do que um ritmo musical: a valsa, especificamente aquela das festas de 15 anos. Para muita gente, já se tornou algo ultrapassado, desnecessário. Mas, ainda para a maioria das pessoas, é um clássico. Resta saber em qual público você se encaixa para saber se ele vale a pena.

A grande questão é que Just Dance, assim como a valsa, não tem muito espaço para inovação. Dá no máximo para colocar uma música diferente, um vestido estiloso e um príncipe bonitão. Para quem jogou Just Dance 2017, Just Dance 2018 tem apenas uma roupagem diferenciada, trilhas atualizadas e 90 dias de Just Dance Unlimited. Isso basta?


Despacito

Na análise de Just Dance 2017, falamos sobre a introdução de Just Dance Unlimited e do que ele poderia significar para a série. Parecia não haver mais espaço para lançamentos anuais do game, mas pelo visto a Ubisoft ainda aposta neste formato. E, para justificar isso, algumas modificações leves foram feitas em Just Dance 2018.

O grande hit da playlist do novo jogo é Despacito – na versão original, sem Justin Bieber. É nesse ritmo que o jogo evolui ano a ano. Devagarinho, com pequenos detalhes a cada versão. O que se destaca mais a cada versão é a lista de músicas. Em Just Dance 2018, são 40 faixas, de artistas como Bruno Mars, Katy Perry, Beyoncé, entre outros.

Não chega a ser aquele line-up empolgante, mas dá para o gasto. Especialmente com os 90 dias de Just Dance Unlimited, que adicionam uma coleção com mais de 300 canções que marcaram época em edições anteriores da série ao jogo pelo período de três meses. Sendo assim, dá para se divertir bastante.

Outras mudanças leves em relação ao Just Dance 2017 são os menus, que passam a ser um pouco mais simples e intuitivos, e o modo Dance Lab, que é uma repaginada do Just Dance Machine. Ele cria uma combinação de músicas e movimentos meio bizarros, com objetivo de ser algo aleatório e bem diferente do tradicional – mas não agrada muito.

De resto, tudo continua igual. As maneiras de dançar (com um smartphone, um PS Move ou usando a PS Camera, que tem sérias dificuldades de detectar movimentos em muitas ocasiões), as possibilidades de desbloquear conteúdo usando moedas ganhas conforme seu desempenho e as variações para coreografias de algumas músicas.

“Let’s set this party off right”

O outro grande destaque da playlist de Just Dance 2018 é 24K Magic, sucesso de Bruno Mars. E esse verso da música, aqui em cima, resume bem o que é o jogo: uma festa. Se ele inova pouco, é porque não há muito onde mexer em um time que já está ganhando – desde 2009.

​É claro que para quem tem o Just Dance 2017 dá para “esperar uma promoção” – ou seguir assinando o Just Dance Unlimited e ter, nele, algumas das principais músicas do novo jogo. Mas para quem não tem uma versão anterior do game no PlayStation 4 e quer uma opção excelente de dançar, se divertir com os amigos e ainda perder uns quilinhos, vale muito.

O único ponto negativo no Just Dance 2018 que pode influenciar na qualidade da jogatina não é culpa dele, mas sim da Sony: a PlayStation Camera. Ela não rende tão bem quanto outros detectores de movimento. Mas há alternativas interessantes, como o PS Move e o smartphone – apesar de eles só traquearem os movimentos dos braços que os seguram.

Mas, no geral, quando combinado ao Just Dance Unlimited, ele é um ótimo jogo, com uma variedade enorme de canções para dançar, coreografias divertidas e variadas, animações bem feitas, conteúdo para ser desbloqueado e muito, muito divertido. E é isso o que todos esperamos dele: um jogo simples, intuitivo e agradável de jogar.


É importante frisar que dá para jogar sozinho, com amigos em casa ou até mesmo online, pelo modo World Dance Floor, já tradicional há algumas edições da franquia. Opções não faltam. Tem até um menu já separado só com músicas infantis pra criançada, e no jogo é possível também criar playlists com suas canções prediletas para facilitar a dança.

Conclusão

Há três grandes críticas que se pode fazer a Just Dance 2018: ele é mais do mesmo, sua jogabilidade não é tão perfeita no PlayStation 4 e ele é um jogo que vale muito a pena por apenas três meses – enquanto a assinatura grátis do Just Dance Unlimited faz com que a coleção de músicas dele seja muito maior.1

Estes três pontos são importantíssimos, e fazem com que, para quem já tem o Just Dance 2017, ou até mesmo o Just Dance 2016, talvez seja melhor esperar uma promoção. Mas, como devemos analisar o jogo pelo que ele oferece, não necessariamente em comparação aos seus antecessores, ele ainda é um game recomendado para quem curte o gênero.

É como falamos no começo da análise: Just Dance 2018 é uma valsa de 15 anos. Para quem sempre sonhou e nunca teve, é um sonho. Para quem já passou desse estágio da vida, pode ser algo totalmente desnecessário. Resta saber em qual perfil você se encaixa. Mas, independente disso, não dá pra negar: é um bom jogo de dança e diversão pro PS4.

 

Veredito

Just Dance 2018
Just Dance 2018

Sistema: PlayStation 4

Desenvolvedor: Ubisoft

Jogadores: Multiplayer

Comprar na Amazon
85 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Muitas opções de gameplay
Desvantagens
  • Jogabilidade no PS4 não é tão boa
  • Mais do mesmo
Thiago Barros
Thiago Barros
Editor-Chefe
Publicações: 1.926
Jogando agora: Ghostwire Tokyo
Jornalista, teve PS1, pulou o 2, voltou no 3 e agora tem o 4, o 5 e até o PSVR. Acha God of War III o melhor jogo da história do PlayStation.