Review

Capcom Arcade 2nd Stadium: vale a pena?

Clássicos memoráveis de Street Fighter, Darkstalkers, Mega Man e muito mais

por André Custodio
Capcom Arcade 2nd Stadium: vale a pena?

Com um catálogo de 32 jogos únicos, Capcom Arcade 2nd Stadium chega para agradar gregos e troianos e surge como a oportunidade perfeita para atrair fãs mais jovens. A segunda coletânea da Capcom diversifica o portfólio de categorias e inclui algumas das mais renomadas franquias clássicas, garantindo mais acessibilidade e novas configurações de exibição.

Nessa sequência de títulos históricos, a publisher optou por disponibilizá-la como um software separado da primeira edição, em vez de simplesmente lançar os jogos como conteúdos pagos integrados à coletânea original. Além disso, o game se propõe a facilitar a vida dos jogadores casuais, mas algumas limitações podem impactar sua qualidade geral.

Capcom Arcade 2nd Stadium
Fonte: André Custodio

Críticas à parte, vale a pena citar que é impossível algum fã ficar insatisfeito com a seleção de jogos Capcom Arcade 2nd Stadium. Todos podem ser experimentados em suas melhores versões e contemplam lançamentos realizados entre 1984 e 2003 — tudo com uma trilha sonora potente e muitas referências memoráveis.

Dito tudo isso e pesando os prós e contras, será que a Capcom acertou em definitivo? Como a empresa buscou revitalizar seu cenário arcade para inovar e sair de uma possível zona de conforto? Veja abaixo tudo sobre a coletânea:

Modelo de negócios resgatado

Nos videogames, mencionar os antigos jogos da marca sem fazer referência à série Capcom Arcade Stadium é simplesmente impossível. Isso porque a primeira edição da coletânea incluiu dezenas de novidades que foram liberadas como presentes, garantindo toda a nostalgia dos fliperamas e novos jeitos de explorar as máquinas de fichas.

Agora, Capcom Arcade 2nd Stadium também é disponibilizado como uma espécie de aplicativo gratuito, onde os títulos são comprados separadamente e inseridos na biblioteca. A única exceção fica por conta do clássico shooter Sonson, que pode ser jogado sem custos adicionais por quem baixar o software na loja digital.

Todos os outros 31 estão listados por um preço sugerido de R$ 3,99 — para compra individual — e podem ser adquiridos de acordo com a preferência do consumidor.

De Gun.Smoke a Street Fighter

Capcom Arcade 2nd Stadium conta com a adição de jogos de peso e inclui a origem de algumas das maiores franquias do mercado. Os jogadores podem aproveitar as primeiras mecânicas de Street Fighter na íntegra, enquanto conhecem mais sobre a história de Mega Man e desbravam lutas de Darkstalkers.

Capcom Arcade 2nd Stadium
Fonte: André Custodio

Além disso, referências de outras categorias marcam presença na coletânea, como Three Wonders, The King of Dragons e Capcom Sports Club. Confira abaixo a lista completa de jogos listados na versão definitiva da coleção:

  • Sonson
  • Savage Bees
  • Gun.Smoke
  • The Speed Rumbler
  • Hyper Dyne Side Arms
  • Hissatsu Buraiken
  • Black Tiger
  • Street Fighter
  • Tiger Road
  • 1943 Kai – Midway Kaisen
  • Last Duel
  • Rally 2011 Led Storm
  • Magic Sword
  • Three Wonders
  • The King of Dragons
  • Block Block
  • Knights of the Round
  • Saturday Night Slam Masters
  • Eco Fighters
  • Pnickies
  • Darkstalkers – The Night Warriors
  • Night Warriors – Darkstalkers’ Revenge
  • Street Fighter Alpha — Warrior’s Dreams
  • Megaman — The Power Battle
  • Street Fighter Alpha 2
  • Super Puzzle Fighter II Turbo
  • Megaman 2 — The Power Fighters
  • Vampire Savior – The Lord of Vampire
  • Capcom Sports Club
  • Super Gem Fighter — Mini Mix
  • Street Fighter Alpha 3
  • Hyper Street Fighter II – The Anniversary Edition

Na interface inicial, os títulos são apresentados em ordem cronológica de lançamento e destacam a logomarca, uma thumb no estilo fliperama e seu nome na língua original. Eles podem ser experimentados tanto em japonês quanto em inglês, mas todos os menus e textos de tutoriais são exibidos totalmente em português.

Apesar disso, falta um pouco de carinho por parte da Capcom, especialmente levando em conta a rica história do catálogo e sua importância como referência e inovações. Sentimos falta, por exemplo, de descrições sobre os jogos e curiosidades — visto o teor “comemorativo” de Capcom Arcade 2nd Stadium.

Interface bastante atrativa

A interface do menu de Capcom Arcade 2nd Stadium é atrativa e simula uma loja de fliperamas da década de 1980. A navegação entre os jogos ocorre como se existisse uma fila de máquinas e permite uma reconfiguração total do design dos gabinetes — tudo alimentado pela avançada tecnologia gráfica RE Engine.

Capcom Arcade 2nd Stadium
Fonte: André Custodio

A tela também dispõe de abas com filtros de “Todos”, “Favoritos” e das respectivas categorias. As transições são efetuadas através do botão “R1” e ocorrem de forma ágil e intuitiva, assim como a navegação entre os jogos através das teclas direcionais “cima” e “baixo”.

Ao selecionar um game, é apresentado um novo menu, com modos de jogo por tempo, pontuação e baseado em desafios. Porém, as limitações de gameplay se evidenciam a partir desse ponto, visto que grande parte dos clássicos do catálogo já funcionam de acordo com essas estatísticas principais.

Capcom Arcade 2nd Stadium
Fonte: André Custodio

Outra novidade fica por conta da implementação de fichas. Apesar do conceito ser muito inútil em Capcom Arcade 2nd Stadium — as moedas são infinitas e é possível inicializar jogos por outras teclas do controle —, não deixe de ser nostálgico ter a sensação de “ligar” um fliperama e  “ganhar” continues após inserir uma ficha na máquina.

Acessível, mas limitado

Os jogos clássicos são bastante conhecidos por seus desafios e limitação em relação às mecânicas de gameplay. Felizmente, a Capcom conseguiu facilitar a vida dos jogadores e trouxe ajustes interessantes em Capcom Arcade 2nd Stadium, como invencibilidade, redução da dificuldade e do dano causado, aumento do número de vidas e mais.

Além disso, todos os jogos contam com configurações alternativas de exibição. As escalas da tela de Capcom Arcade 2nd Stadium incluem um modo de apresentação com vista de fliperama, display personalizado em escalas de preferência e tela cheia.

Também vale mencionar a satisfatória melhoria gráfica que foi realizada na coletânea. Apesar de estarem em resolução de 720p — a ausência de HD é um atraso considerável a ser mencionado —, os games possuem detalhes nítidos e não perdem em qualidade independente do modo gráfico escolhido.

Capcom Arcade 2nd Stadium
Fonte: André Custodio

Outras novidades incluem recursos de qualidade de vida, como salvamento a qualquer hora, “travar” o save para não cobri-lo com outro game, estatísticas de jogo e velocidade de gameplay customizável. Jogadores também têm a oportunidade de retroceder momentos da campanha — via botão “R2” — para refazer escolhas e alterar algum movimento indesejado.

Jogando, finalizando… E depois?

Como já mencionei anteriormente na análise, a Capcom pecou em não considerar toda a importância dos clássicos para o cenário gamer. Desde a tela inicial, já é possível observar que a coletânea não traz estímulos à continuidade e tem um fator replay praticamente zero. Isso quer dizer que após finalizar um jogo não há mais nada a ser feito, a não ser jogar de novo em outras configurações, talvez?

Capcom Arcade 2nd Stadium
Fonte: Capcom

Esse problema também é reforçado pela falta de conteúdo adicional. Remasterizações de jogos antigos costumam trazer galerias, colecionáveis, modos alternativos e muitas recompensas históricas, digamos assim — como houve com Sonic Origins. Porém, Capcom Arcade 2nd Stadium tem apenas os jogos listados e as configurações ajustáveis em um menu simples e minimalista.

Capcom Arcade 2nd Stadium: vale a pena?

Capcom Arcade 2nd Stadium é a oportunidade perfeita para explorar alguns dos maiores clássicos do final do século XX e início do século XXI. A coleção é muito recomendada para fãs e tem um espaço reservado para o público novato, graças à acessibilidade, visuais mais convidativos, interface divertida e preços honestos.

Porém, usuários de todas as idades e exigências podem se incomodar com a falta de carinho dos desenvolvedores e com a quase total ausência de conteúdos adicionais. Capcom Arcade 2nd Stadium cai em uma zona confortável e aposta apenas nos nomes disponibilizados, mas peca em não inovar e a ter um ligeiro aspecto de “mais do mesmo”.

Por fim, é possível classificar Capcom Arcade 2nd Stadium como um game que vale a pena, mas com ressalvas. Em um tempo com avanços em jogos de última geração e com novidades em remasterizações, a coletânea escala um pouco no meio-termo, mas se garante ao revelar uma seleta lista de pérolas obrigatórias.

Capcom Arcade 2nd Stadium será lançado em 22 de julho para PS4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

Veredito

Capcom Arcade 2nd Stadium
Capcom Arcade 2nd Stadium

Sistema: PlayStation 4

Desenvolvedor: Capcom

Jogadores: 1 ou 2

Comprar na Amazon
75 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Grande catálogo de jogos
  • Interface dinâmica em forma de fliperama
  • Opção de filtros para categorias
  • Acessibilidade e ajustes de dificuldade
  • Configurações de exibição para todos os públicos
Desvantagens
  • Modos de jogo limitados
  • Não há estímulo através de recompensas
  • Ausência de maiores inovações, como resolução
  • Baixo fator replay
André Custodio
André Custodio
Redator
Publicações: 972
Jogando agora: Digimon Survive
Redator fã de RPG, soulslike e jogos que fazem rebolar o controle no chão. Larguei FIFA por motivos pessoais (ruindade) e curto platinar uns single player com 120 horas de jogatina.