Review

Firewall Ultra: vale a pena?

Pouca oferta de conteúdos no lançamento e problemas técnicos ofuscam estreia do game no PlayStation VR2

por Daniel dos Reis
Firewall Ultra: vale a pena?

Firewall Ultra chega ao PlayStation VR2 com a missão de ser melhor do que o Zero Hour foi no PS VR1: um jogo que explora diversas possibilidades, demonstra o potencial da realidade virtual e, consequentemente, atrai um público maior. Especialmente por tratar-se de um gênero amado por uma grande parte do público: tiro em primeira pessoa.

No entanto, ele tropeça em sua tentativa de simplificar demais algumas mecânicas e aparentar ser mais do que realmente é. Se apoiando em muitas promessas de melhorias futuras, mais uma vez ele nos força a usar termos como como “potencial subutilizado”. Há uma falta de conteúdo apesar do excesso de ideias.

No entanto, mantenha a calma: sempre há um lado positivo, mesmo nas situações mais desafiadoras.

Ultra

O destaque inicial vai para a apresentação estética, auditiva e sensorial. Firewall Ultra está entre os jogos mais visualmente atraentes do PlayStation VR2. Os efeitos de luz, a iluminação, o design dos ambientes, a sonoplastia potencializada pelo áudio 3D e os excelentes efeitos do recurso Sense são incríveis.

Uma das características mais interessantes é sentir nos controles Sense os recuos das armas ao disparar rajadas de rifles, pistolas, espingardas, granadas, etc. É quase como usar um DualSense.

Além disso, há o rastreamento ocular que proporciona situações únicas. Por exemplo, para se proteger de uma granada de luz, basta fechar os olhos. A seleção de menus também é realizada com os olhos, o que parece legal à primeira vista, mas… falaremos disso mais adiante.

1

Soft-VR

Afinal, o que é Firewall Ultra? É um jogo de tiro tático multiplayer com elementos estratégicos, ritmo cadenciado e uma variedade de agentes de elite. Poderíamos considerá-lo um parente distante do Rainbow Six Siege, mantendo as devidas proporções.

No entanto, ao contrário do sucesso da Ubisoft, o jogo da First Contact Entertainment possui bem menos modos e opções de jogo. Apenas dois: PvP e PvE.

No time contra time, os jogadores se dividem entre ataque e defesa. Um time tenta proteger um laptop, enquanto o outro tenta atacar. Nas rodadas seguintes, os papéis se invertem. No cooperativo, você e sua equipe devem invadir três computadores, se proteger das ondas de inimigos controlados pelo computador e realizar a extração.

Até existe uma área de treinamento, mas ela serve apenas para que os jogadores tenham o primeiro contato com o conceito do jogo, assimilem os comandos, entendam o funcionamento das armas e adquiram um pouco de prática.

2

O ponto crucial aqui é que o Firewall Ultra se propôs a não entregar uma experiência de realidade virtual de alta imersão. O jogo simplifica bem as mecânicas, possivelmente na tentativa de atrair mais jogadores, porém acaba deixando de lado recursos que tornam a realidade virtual (RV) única.

Isso resulta em comandos fáceis de pegar. Para abrir uma porta, basta pressionar um botão; para recarregar, pressione outro botão; para lançar as granadas ou plantar C4, pressione um botão. Isso pode ser o padrão em jogos não-VR, mas não é o caso normalmente neste gênero.

Em jogos de PS VR que são bem executados, existe um ritual em torno dessas ações. Para abrir uma porta, você faz o movimento de puxá-la pela maçaneta; para recarregar, pega o pente de munição e o insere na arma; para lançar uma granada, faz o gesto de arremesso.

Pode parecer burocrático em palavras, mas é exatamente isso que torna os jogos de PS VR2 especiais e justifica o investimento. É algo que cria uma experiência diferenciada. Imersão.

Considere exemplos como The Walking Dead: Saints & Sinners – Chapter 2: Retribution, Pavlov VR, Horizon Call of the Mountain e muitos outros. Os movimentos fazem uma grande diferença. Tanto que o estúdio já confirmou que a recarga manual das armas será implementada no futuro, em resposta às reclamações da comunidade.

Altos e baixos

Firewall Ultra proporciona uma experiência de montanha-russa, com momentos de alta e baixa intensidade. Possui visuais impressionantes, cenários ricos em detalhes, efeitos sonoros cativantes, bom aproveitamento do recurso Sense e diversas abordagens possíveis para cumprir os objetivos (como plantar armadilhas, agir com cautela, adotar uma abordagem agressiva, desenvolver estratégias em equipe, entre outras).

Firewall Ultra Visuais
Visuais de Firewall Ultra são impressionantes.

Quando tudo se alinha, o jogo brilha e é possível passar várias horas nele – algo incomum em jogos de PlayStation VR, que frequentemente requerem pausas para descanso. Entretanto, assim como uma montanha-russa, o jogo tem suas descidas rápidas.

Bugs visuais estranhos e problemas nas animações dos personagens frequentemente resultam em situações bizarras, como braços tortos, lembrando algo de um filme de terror como “O Chamado“. Às vezes, a arma simplesmente não se encaixa adequadamente ou muda de mãos sem comando.

Além disso, ocorrem crashes esporádicos. Em nossos testes, encontramos situações em que o jogo congelou, exigindo um reinício.

Infelizmente, esses não são os únicos pontos negativos.

3

Possivelmente o mais grave é a excessiva necessidade de grind para a progressão. Desbloquear novas armas, equipamentos, contratos e personagens é um processo custoso a ponto de levar os jogadores a desistirem.

Ao conquistar experiência, você evolui em seu ranking e pode usar moedas do jogo para adquirir mais recursos. O problema é que a quantidade de moedas fornecida é muito baixa. Leva um tempo considerável para desbloquear itens simples, como uma lanterna, por exemplo.

A situação se torna tão crítica que o jogo recebeu uma atualização (versão 1.04) na qual foram fornecidas 100 mil moedas para os jogadores gastarem na loja, permitindo assim o desbloqueio de itens simples.

Quanto à variedade de mapas, até o momento existem apenas oito, muitos deles sendo recriações do Firewall Zero Hour (2018). Embora todos sejam interessantes e visualmente atraentes, a quantidade é pequena.

4

Por fim, a navegação nos menus também apresenta problemas. As opções são selecionadas pelo movimento dos olhos. Você direciona seu olhar para uma opção e o cursor se move. Isso pode parecer conveniente, mas na prática é desajeitado e impreciso, transformando o simples em algo difícil.

Abrir a opção desejada se torna um desafio. Trocar de arma ou fazer ajustes no jogo durante uma partida? Esqueça!

Por ser um jogo de serviço contínuo, a expectativa é que novidades cheguem em breve e possam fazer a pena o investimento ( o jogo custa R$ 200 na PlayStation Store).

Desafios adicionais para jogadores brasileiros

Para os jogadores brasileiros, há outras considerações a serem feitas. Você encontrará poucos compatriotas no jogo. Como a comunicação é crucial, devido à necessidade de interagir com os outros jogadores, isso se torna um desafio adicional. A maioria dos jogadores é estrangeira, criando uma barreira linguística natural.

Isso não impede o gameplay, mas reduz consideravelmente o nível de integração.

Essa falta de brasileiros também implica em tempos de espera prolongados para formar um esquadrão. O matchmaking deixa a desejar, levando, por vezes, muito tempo para encontrar outros jogadores e ainda mais tempo para começar as partidas.

A boa notícia é a localização do jogo. Ele está dublado e legendado em nosso idioma. Apesar de algumas telas não estarem traduzidas corretamente – o que logo deve ser corrigido.

Firewall Ultra: vale a pena?

No momento, é aconselhável aguardar por mais conteúdo no jogo, além de correções para seus problemas técnicos e ajustes efetivos na progressão, que vão além de simplesmente oferecer moedas. Além disso, é importante que sejam introduzidas interações mais compatíveis com a realidade virtual.

O jogo tem seus momentos positivos, é verdade. As partidas PvE são agradáveis, os bots têm uma boa inteligência, há uma variedade de armas com diferenças marcantes entre elas, os tiroteios são intensos, os visuais são impressionantes e o áudio é excelente.

Quando você finalmente forma um esquadrão coeso após um longo período, as coisas começam a fluir e é possível aproveitar boas horas de diversão.

No entanto, Firewall Ultra parece ser, por enquanto, uma promessa não completamente cumprida. Ficamos na expectativa de que o futuro seja mais generoso.

Veredito

Firewall Ultra
Firewall Ultra

Sistema: PlayStation VR2 | PlayStation 5

Desenvolvedor: First Contact Entertainment

Jogadores: 1 Jogador

Comprar com Desconto
65 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Belíssimos visuais
  • Sonoplastia
  • Ambientação dos mapas
  • Controles Sense são ótimos
Desvantagens
  • Crashes
  • Navegação nos menus terrível
  • Grind altíssimo
  • Sistema de progressão ruim
  • Bugs visuais
  • Tempo excessivo no matchmaking
  • Poucos brasileiros
Daniel dos Reis
Daniel dos Reis
Manager
Publicações: 7.232
Jogando agora: The Last of Us Parte II Remasterizado
Manager do MeuPS e um cara de muita sorte por trabalhar com aquilo que gosta.