Review

God of War para PC: vale a pena?

Enquanto tenta conquistar novos públicos, a nova versão do jogo também tem motivos suficientes que justificam o retorno à Midgard

por Valdecir Emboava
God of War para PC: vale a pena?

Depois da Mitologia Nórdica, os computadores. Parece que Kratos anda, realmente, explorando terrenos desconhecidos desde o fatídico final de God of War III, não é mesmo? Sim, o mais recente título da saga será God of War para PC. Cerca de quatro anos após um sucesso estrondoso no PlayStation 4, a obra da Santa Monica aparece “no teclado e mouse” com atualizações gráficas importantes e, claro, uma nova jogabilidade.

Com o reboot da saga, o estúdio não poupou ousadia em implementar mudanças profundas, tanto na maneira como jogamos God of War, quanto nas novas motivações e princípios de Kratos. Os novos ares fizeram bem ao espartano, que agora tem a difícil missão de tornar seu filho, Atreus, um dos maiores guerreiros que Midgard já viu. Mas já falamos (e muito) sobre isso na análise de 2018. O assunto aqui é se a migração para os computadores foi bem feita.

E se você conhece o trabalho da Santa Monica, sabe que a resposta, muito provavelmente, será “sim”. Assim como vem acontecendo com outros exclusivos de PlayStation que chegam ao PC após algum tempo, God of War oferece uma experiência gráfica e de jogabilidade bem interessante aos usuários da plataforma. O suficiente para quem já conhece “rejogar” e mais do que o bastante para aqueles que ainda não se aventuraram com “o Bom de Guerra” embarcarem nessa viagem.

God of War para PC traz experiência sólida

Quando o jogo chegou ao PS4, era incontestável que a Santa Monica soube aproveitar muito bem o hardware do console. Mesmo com as “limitações” da época, o estúdio criou uma estrutura gráfica muito competente, oferecendo visuais de tirar o fôlego e uma taxa consistente de 30 FPS.

No início de 2021, enfim, o game recebeu a merecida atualização para a nova geração. Desta vez, 4K dinâmico, 60 FPS e loadings extremamente rápidos, proporcionados pelo SSD do PS5, faziam parte do pacote. Tal novidade deu novos motivos para os jogadores visitarem a Mitologia Nórdica mais uma vez.

Imagem de God of War para PC.
(FONTE: Valdecir Emboava)

Se um é pouco e dois é bom, agora a Santa Monica tem a missão de agradar um novo e exigente público ao lançar God of War para PC. Como era de se esperar, o estúdio da Sony tirou de letra, ao trazer uma experiência sólida nos computadores.

O PC usado na análise é bastante competente para este propósito: uma placa de vídeo RTX 2070 Super, processador AMD Ryzen 9 3900X, 16 GB de RAM e um SSD M.2 NVMe. É um conjunto poderoso, mas prejudicado pela falta de um monitor com 4K. Por esse motivo foi possível jogar no ultra, com a resolução máxima de 2K (2560 x 1440p) — muito longe de ser uma configuração ruim, inclusive.

Execução impecável na nova plataforma

O destaque da nova versão é percebido logo de cara: a taxa de quadros ilimitada. O máximo que conseguimos nos consoles da Sony são 30 FPS no PS4 e 60 FPS no PS5 — mas no PC, o céu é o limite. Com o hardware usado na análise, as taxas variam entre 80/110 FPS no Modo Performance. E a diferença que isso fez no gameplay foi gritante.

A fluidez no combate tornou-se o principal ponto de referência aqui. Existem algumas quedas para 70 FPS em ambientes mais trabalhados e com maiores quantidades de assets no campo de visão. Mesmo com essa queda, a taxa de quadros ainda é maior em relação ao console de nova geração da Sony.

Por conta do SSD M.2 NVMe, que inclusive é bastante similar ao do PS5, também foi possível obter carregamentos muito rápidos, com cerca de 4 a 5 segundos para cada transição de tela. Esse aspecto foi criticado na primeira versão do jogo, como observado na nossa análise. Além disso, vale pontuar: em um HD convencional o loading leva muito mais tempo.

Houve momentos em que o jogo deu uma engasgada, principalmente ao entrar em algumas salas específicas (como nas câmaras das Valquírias). Também há ressalvas em alguns reflexos mal otimizados (como mostrado na imagem abaixo). Porém, esses problemas apareceram poucas vezes e o impacto negativo na experiência foi insignificante.

Imagem de God of War para PC.
Alguns reflexos ficaram desse jeito, mas era realmente muito raro isso acontecer (FONTE: Valdecir Emboava)

As novidades vão muito além da taxa de quadros extra. Tudo tem mais vida em God of War para PC, e o trabalho feito na otimização de texturas, sombras e reflexos merece todos os elogios. A melhoria no draw distance (distância máxima de objetos em uma cena tridimensional) também agrega muito valor às cenas, já que é possível reproduzir mais informações na tela.

Todos os elementos, alinhados à possibilidade de usar monitores ultrawide e as tecnologias exclusivas da NVIDIA, como o DLSS e o Reflex, tornam God of War para PC um game indispensável até para quem já pôde jogá-lo. É tudo surpreendentemente impecável em sua reprodução.

Ainda vale o adendo: o DLSS da NVIDIA (Deep Learning Super Sampling) é uma tecnologia que aprimora imagens renderizadas em resoluções mais baixas através de uma inteligência artificial, visando atingir a qualidade equivalente ao de uma resolução superior. Logo, o jogo continua com o belo visual até em máquinas menos potentes.

Já o Reflex, disponível só para as placas da série RTX 3000, diminui a latência do jogo e proporciona mais precisão na movimentação — o que pode ser de grande ajuda no combate. Ou seja, a Santa Monica soube aproveitar tudo o que há de melhor na plataforma para tornar a experiência de God of War para PC a melhor possível.

Mouse e teclado são surpreendentemente satisfatórios

Usar mouse e teclado em jogos de ação pode não ser uma boa ideia, pelo menos na maioria dos casos — contudo, em God of War para PC essa opção funciona muito bem. As possibilidades com o novo controle proporcionam uma dinâmica muito divertida ao gameplay.

É inquestionável que o machado Leviathan foi uma das melhores coisas criadas para o game, e jogar com ele no mouse e no teclado é muito satisfatório. Pode levar um pouco de tempo para acostumar com os comandos, mas o domínio traz uma enorme satisfação. Para esta análise, por exemplo, eles foram usados do início ao fim.

A luta contra o dragão é um ótimo exemplo para ilustrar a experiência. Causar dano e desviar dos golpes desferidos pela fera demanda velocidade e exatidão no DualShock 4 ou no DualSense, e o conjunto de mouse e teclado não fica para trás nesse aspecto. A objetividade no manuseio da câmera é essencial para que os golpes encaixem perfeitamente — e direcionar isso com o mouse é moleza.

Caso prefira os métodos convencionais usando os controles da Sony, também é possível, pois a Steam oferece todo o suporte necessário para tal. Se estiver procurando por novos desafios, o teclado e o mouse são uma excelente pedida neste caso.

God of War para PC: vale a pena?

De forma objetiva e direta, sim, vale a pena. O trabalho realizado no port de God of War para PC é muito competente e a Santa Monica soube implementar melhorias que justifiquem o retorno dos fãs de primeira viagem, enquanto tenta cativar novos públicos.

É tudo bem executado e a experiência é bastante sólida, pelo menos na configuração na qual o jogo foi analisado — todo o conjunto é realmente digno de nova geração. Em hardwares modestos, o estúdio prometeu desempenho mínimo de 720p e 30 FPS.

Para quem possui um PC mais básico e não teve a oportunidade de conhecer o novo God of War, ainda é possível jogá-lo sem maiores problemas, já que suas especificações recomendadas não são tão exigentes:

Requisitos mínimos (720p e 30 FPS)

  • Placa de vídeo — NVIDIA GTX 960 (4 GB) ou AMD R9 290X (4 GB)
  • Processador — Intel i5 2500K (4 core 3.3 GHz) ou AMD Ryzen 3 1200 (4 core 3.1 GHz)
  • Memória RAM — 8 GB
  • Armazenamento — 70 GB HDD (SSD recomendado)

Requisitos recomendados (1080p e 30 FPS)

  • Placa de vídeo — NVIDIA GTX 1060 (6 GB) ou AMD RX 570 (4 GB)
  • Processador — Intel i5 6600K (4 core 3.5 GHz) ou AMD Ryzen 5 2400 G (4 core 3.6 GHz)
  • Memória RAM — 8 GB
  • Armazenamento — 70 GB SSD
Imagem de God of War para PC.
God of War para PC envelheceu como um bom vinho (FONTE: Valdecir Emboava)

Talvez, o preço de R$ 199,90 ofertado na Steam e na Epic Games Store não seja muito convidativo para quem já o jogou anteriormente. Por outro lado, isso é facilmente driblado com períodos de promoções, que costumam trazer descontos de até 50% e são bem recorrentes nas plataformas.

A jogatina não foi prejudicada por absolutamente nada, e a ausência de bugs impressionou positivamente. Houve as pequenas engasgadas mencionadas, mas apenas em ambientes específicos, e o impacto negativo na experiência foi zero. Dito isso, God of War para PC é uma obra de arte em sua melhor forma; um primor técnico.

Veredito

God of War
God of War

Sistema: PC

Desenvolvedor: SIE Santa Monica Studios

Jogadores: 1

Comprar na Amazon
95 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Taxa de quadros ilimitada
  • Performance consistente
  • Port é uma experiência de muito respeito
  • Inexistência de bugs
  • Mouse e teclado proporcionam nova dinâmica ao gameplay
Desvantagens
  • Valor ofertado na Steam e na Epic Games não é muito convidativo para quem já jogou
  • Pequenas engasgadas, mas que não interferem na experiência
  • Alguns reflexos mal otimizados
Valdecir Emboava
Valdecir Emboava
Redator
Publicações: 2.353
Jogando agora: Evil Dead: The Game