Notícias

Estúdio de The Sinking City acusa Nacon de roubar e piratear o seu jogo

A desenvolvedora afirmou que a publisher alterou códigos-fonte do título na Steam para o seu proveito

por Vítor Amorim Heringer
Estúdio de The Sinking City acusa Nacon de roubar e piratear o seu jogo

A Frogwares, desenvolvedora de The Sinking City, acusou a publicadora Nacon de roubar e piratear o jogo na Steam. Além disso, solicitou a retirada do título da loja digital da Valve. O pedido foi atendido nesta quarta-feira (03), e o game não se encontra mais disponível.

Em uma publicação em seu site oficial, o estúdio relatou que a publisher fez um “upload ilegal” no dia 26 de fevereiro e deixou “pegadas digitais gigantes”.

A Nacon crackouhackeou, mudou o código e conteúdos do nosso jogo, e fez um upload ilegal de The Sinking City para o Steam a 26 de Fevereiro de 2021 para comercializá-lo debaixo do seu nome sem o nosso conhecimento (…) Nacon decidiu roubar e piratear nosso jogo e eles o fizeram, deixando pegadas digitais gigantes.

Segundo a Frogwares, a Nacon comprou a versão de The Sinking City à venda na loja Gamesplanet e fez uma modificação, alterando logotipos e “outros pequenos detalhes”, de modo a vender na Steam com o nome da publisher.

O estúdio recorrerá à Justiça Francesa, procurando “seguir o melhor caminho legal para prevenir que algo como isto aconteça novamente”.

O proprietário da Nacon, Alain Falc, terá que enfrentar as consequências jurídicas da decisão de piratear e roubar a propriedade da Frogwares. A propósito, as leis de propriedade intelectual na França são bastante sérias e podem levar a até sete anos de prisão e 750000 euros de multas mais danos, como aponta o artigo 335-4 do código de propriedade intelectual.

A desenvolvedora também publicou um vídeo no YouTube detalhando a ocorrência e quais foram as pistas deixadas pela publicadora.

Até o momento, a Nacon ainda não se pronunciou sobre as acusações.

Histórico da batalha judicial por The Sinking City

De acordo com o site oficial da Frogwares, o caso começou quando a Nacon assinou um acordo para pagar os produtores por marcos de desenvolvimento. Apesar das metas atingidas, a empresa atrasou as transferências.

Em seguida, a publisher exigiu os códigos-fonte de The Sinking City como se fossem uma propriedade sua e, quando a desenvolvedora se recusou a entregá-los, houve uma paralisação dos pagamentos por quatro meses. Quando o jogo ficou pronto, em junho de 2019,os contratos anteriores foram cancelados e a produtora não lucraria um tostão com o game, retirando o título da PS Store em agosto de 2020.

The Sinking City só retornou à loja da Sony em janeiro deste ano, após uma vitória em primeira instância da Nacon nos tribunais. No entanto, o final da disputa judicial ainda está longe de acabar, podendo durar muitos anos.

 

Receba as novidades do meuPS no email

Nós não enviamos spam :)

Ao clicar em receber novidades você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade. Você pode optar por parar de receber os emails a qualquer momento.