Notícias

ESA e OMS vão discutir (novamente) “transtorno de games”; entenda

Tópico será discutido em 2019 por várias organizações.

por Raphael Batista
ESA e OMS vão discutir (novamente)

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou há alguns meses que desejaria classificar o vício em videogames como um transtorno mental. Neste ano, a organização discutirá o tópico juntamente com a Entertainment Software Association (ESA) e outras federações.

A OMS defende a posição que os quadros clínicos de pessoas viciadas em videogames se encaixa no padrão de transtorno. Segundo o órgão, a classificação oficial no CID (Classificação Internacional de Doenças) ajudaria no processo de identificação.

Ainda sim, a OMS tem adotado uma postura de cautela em relação ao assunto. Por isso, marcou reunião com diversas instâncias a fim de entrarem em consenso. Além da ESA, a UK Interactive Entertainment (UKIE) e a Interactive Software Federation of Europe (IFSA) também estão envolvidas.

Em dezembro de 2018, na cidade de Geneva, principais representantes das instituições se encontraram para as reuniões preliminares. O chefe executivo da ESA compartilhou.

É nossa expectativa continuar o diálogo a fim de ajudar a OMS a não tomar decisões precipitadas ou erros que podem levar anos para serem corrigidos. Os bilhões de jogadores de videogames ao redor do mundo serão afetados por qualquer erro na classificação ICD-11 e eles merecem uma pesquisa meticulosa.

A UKIE corrobora a mesma posição, alegando que qualquer decisão da OMS precisa ser tomada com “evidências robustas e inequívocas”. Por fim, a IFSA ressalta a necessidade de transparência em todo o processo na justificativa da classificação.