Notícias

Epic Games é processada (de novo) por outra dancinha de Fortnite

Epic Games já pode pedir música no Fantástico.

por Raphael Batista
Epic Games é processada (de novo) por outra dancinha de Fortnite

Mais um processo contra a Epic Games foi anunciado neste terça-feira (15). Após o ator Alfonso Ribeiro (Carlton Banks) processar a companhia por causa da sua dança criada em “Um Maluco no Pedaço”, agora, a mãe do “Orange Shirt Kid” emplaca outra ação legal à empresa com a justificativa de “apropriação ilegal de propriedade.” em Fortnite.

Segundo a reportagem da Variety (via Eurogamer), a dança chamada “the Random” foi originalmente criada pelo jovem e disponibilizada em Fortnite sem dar os devidos créditos ao autor. Isso fez com que a responsável legal pela criança entrasse na justiça.

Assim como vender uma imitação barata, os réus venderam a dança ‘the Random’ e a renomearam como ‘Orange Justice’. Os réus não deram credito ao Orange Shirt Kid e nem pediram consentimento para usar, exibir, reproduzir, vender ou criar um trabalho derivado do conteúdo criado.

No entanto, como a Variety ressalta, o documento legal não faz menção à competição BoogieDown, a qual o Orange Shirt Kid submete a sua dança como uma celebração da Epic Games a fim de incluir seus movimentos no jogo. A mãe do jovem ressalta que a popularidade explodiu no início de 2018 quando ele mesmo criou os movimentos.

De acordo com Rachel McCumbers, foi através de uma campanha dos jogadores de Fortnite para incorporar a dancinha no jogo que o sucesso do menino despontou. Além disso, é noticiado que o criador foi vítima de cyberbullyng e forçado a desativar o Instagram e YouTube.

Este parece ser apenas o primeiro capítulo desta outra novela que promete muitos outros acontecimentos.