Especiais

Como a Blizzard criou um sistema de jogo viciante em Overwatch

Sistema de matchmaking da Blizzard é a chave do sucesso do game.

por Bruna Mattos
Como a Blizzard criou um sistema de jogo viciante em Overwatch

Nunca me senti atraída por games baseados em multiplayer competitivo. Parecia-me que jogadores mais experientes acabariam “massacrando” os novatos. A falta de um enredo que guiasse as ações durante o game também contribuía para eu que não me interessasse tanto. E aí surgiu Overwatch, que decidi experimentar em um dos finais de semana gratuitos. Era algo bem diferente do que eu imaginava para os games do gênero: um pouco frustrante no começo sim, mas muito divertido.

Depois de comprar o game e ter um nível que me permitiu jogar o modo competitivo – em que os jogadores são (supostamente) classificados de acordo com suas habilidades – a coisa ficou um pouco mais séria. Era muito difícil abandonar o jogo para experimentar outro, a não ser que fosse algo que me interessasse muito, muito mesmo. Uma espécie de “comichão” sempre me fazia retornar para o jogo da Blizzard e qualquer tempinho livre era oportunidade para mais uma partida do modo competitivo.

Com o tempo você quer se tornar cada vez melhor, aprender a dominar determinados personagens ou funções para subir em sua classificação de habilidade (skill rating), determinada pelos elos e famosos “pontos SR”. Depois de muitas partidas jogadas, no entanto, boa parte dos jogadores começam a perceber padrões que acabam se tornando bastante nítidos.

Sequências de vitórias e derrotas

Insurreição

É extremamente comum vasculhar comunidades de Overwatch e observar pessoas debatendo as sequências de derrotas (losing streaks), que parecem intermináveis e frustram jogadores em todas as temporadas. Existem vídeos com dicas para quebrar este período que parece atingir praticamente todos os jogadores, inclusive os de ranking elevados.

A maioria das pessoas sugere simplesmente “dê um tempo”, “pare de jogar”, “esfrie a cabeça”, “troque de personagem”, mas estas técnicas não funcionam tão bem. Outros até levantam hipóteses sobre como alguma coisa inexplicável, externa ao jogador e às suas habilidades parecem estar provocando a sequência de derrotas.

Jogadores em sequências de derrotas comumente observam que estão frustrados por serem pareados com pessoas que não atuam bem em equipe, trolls, usuários tiltados (que estão perdendo há muitos jogos e começam ter comportamento tóxico), e parceiros que sofrem desconexões. Isso acontece continuamente e parece que você está preso em um período de azar, por mais que se dedique. É comum estar em uma sequência de derrotas e acumular várias (ou todas) as medalhas de ouro ou, ainda, ser o único membro da equipe que entrou nos destaques ao final da partida.

É fácil encontrar nas comunidades aqueles que retrucam que as reclamações sobre as sequências de derrota são “puro choro”, porque boa parte dos usuários está ciente de que também existem sequências de vitórias e, bem…ninguém reclama delas.

Durante as sequências de vitórias os competidores são obviamente pareados com parceiros que atuam bem em conjunto, o que tende a aumentar o desempenho individual de cada membro da equipe. Sequências de vitórias também aumentam a motivação do jogador e ele tende a ter desempenhos individuais melhores por si só, ganhando ainda mais SR. Assim como é comum “carregar o time” e mesmo assim não vencer durante a sequência de derrotas. É normal vencer vários jogos seguidos sem ter um desempenho excepcional em muitos deles.

Os 50%

Overwatch Soldier 76

Enquanto jogadores alegam que estão presos em ciclos de sequências de vitórias e derrotas, a Blizzard alega que o sistema de matchmaking tenta ser o mais justo possível, formando equipes de maneira que cada uma delas tenha 50% de chances de vencer a partida.

Dessa forma, as equipes reuniriam pessoas com habilidades semelhantes dos dois lados. Em uma situação como esta, o desafio do modo competitivo se manteria constante, de aparência que todas as partidas apresentam dificuldades bastante altas, baseadas apenas nas habilidades dos jogadores envolvidos. Pensando assim, partidas do modo competitivo de Overwatch seriam quase sempre extremamente acirradas. Na prática, o que acontece é o oposto.

Partidas REALMENTE acirradas no modo competitivo, especialmente nos elos em que a maioria dos jogadores estão concentrados (prata, ouro e platina), são eventos raros. O que é bastante comum de se observar são partidas de dificuldade mediana para o time vencedor ou situações em que o time perdedor é praticamente destruído pela outra equipe. Se esse tipo de partida acontece continuamente, o sistema de 50% de chance para ambos os lados é completamente falho ou inexistente.

Outros fatores também contam para a formação dos times de acordo com a Blizzard, incluindo a velocidade da internet dos usuários envolvidos e um fator obscuro chamado de MMR (matchmaking rating). Este seria o “verdadeiro” medidor da habilidade dos jogadores. O número se mantém oculto e não se sabe como seu valor é calculado. Ou seja, além de um matchmaking estranho e aparentemente falho, existe um medidor de habilidade oculto, indicando que a pontuação percebida pelo usuário não pode não ser verdadeira.

Os verdadeiros 50%

1

No fim das contas, os “tais 50%” não são observados nas chances de uma equipe vencer ou perder, mas sim na média de vitórias e derrotas de cada jogador ao longo da temporada. Boa parte dos jogadores, com poucas exceções, irá alcançar sua classificação ao fim de uma temporada com uma taxa em torno de 50% de vitórias.

Portanto, o que faz um jogador subir ou descer na pontuação, ao longo de todo o período, é tentar ganhar mais pontos do que perder. Isso se faz basicamente jogando bem em todas as partidas, inclusive nas derrotas, acumulando uma perda menor de pontos, gerando um saldo positivo. Por um lado, isto torna a evolução do jogador um grande desafio e exige dedicação de quem escolhe jogar no modo competitivo.

No entanto, o grande problema do modo competitivo de Overwatch não está nesse método, mas sim nos “verdadeiros 50%”. A todo momento, jogadores não são pareados realmente de acordo com suas habilidades, mas com o quão longe estão dos 50% de vitórias, para mais ou para menos. Ao conversar com seus parceiros de time sobre vitórias e derrotas, é normal que a grande maioria da equipe esteja vencendo ou perdendo há um número considerável de partidas – e essa é uma forma excelente de prever o resultado final.

É daí que surgem as famigeradas sequências de vitórias e derrotas. Um jogador irá vencer várias partidas seguidas ao ser pareado com jogadores que também estão vencendo. Os membros da equipe tendem a atuar bem em conjunto (tem “mains” variados e que se complementam) e estão motivados pelos bons resultados. Isso fará com que a taxa de vitórias se aproxime dos 50% e ultrapasse esse número, às vezes mais, às vezes menos. Em contrapartida, ao se distanciar muito dos 50% positivamente, um jogador tende a cair em partidas que o levarão de volta a esta taxa, entrando em uma sequência de derrotas, cuja fórmula é conhecida: três ou quatro jogadores que dominam um mesmo personagem, pessoas que se comunicam mal, usuários desmotivados, trolls, desconexões, etc.

Com a aproximação dos 50% de vitórias em ambos os lados, as partidas tendem a se tornar mais mistas, justas, acirradas e imprevisíveis. Então, o correto seria esperar que Overwatch mantivesse todos os jogadores oscilando muito pouco em torno da taxa de 50% de vitórias e aí todas as partidas seriam exatamente conforme o descrito. Só que isto também não acontece. A Blizzard não está interessada em criar partidas justas e com dificuldade semelhante o tempo todo.

A Blizzard quer que você continue a jogar Overwatch

2
Fonte: divulgação.

Se você chegou até aqui, deve estar se perguntando porque o título é sobre como Overwatch vicia jogadores. O segredo está justamente no método de criar ciclos de vitórias e derrotas e nos famigerados “50%”.

Quando jogadores de Overwatch criam textos reclamando da frustração de estarem presos em sequências de derrotas, ou sobre como o matchmaking é “quebrado”, eles não “estão chorando”. Estas pessoas só se deram conta do padrão no qual o jogo funciona e, para perceberem isto é provável que estes usuários joguem MUITAS partidas seguidas, todos os dias. Normalmente, estes jogadores também estão em um dos elos que concentram mais pessoas (prata, ouro e platina).

E como estas mesmas pessoas, extremamente frustradas, continuam a jogar? Provavelmente por que, mesmo irritadas com tantas partidas horríveis, estas pessoas sentem que precisam reaver os pontos perdidos e entrar em uma nova sequência de vitórias. É algo parecido com o jogador compulsivo que sentou na mesa do cassino e já perdeu até as calças, mas não para apostar mais e mais para reaver o que perdeu ou voltar a sentir de novo o gostinho da vitória.

Estas pessoas frustradas continuam a jogar por que o objetivo do matchmaking de Overwatch não é criar partidas justas e um desafio constante, é manipular a motivação do jogador. Vitórias e derrotas alternadas, como se esperaria de um sistema de partidas estritamente justo em praticamente todas as situações, criam pequenas quantidades de motivação e frustração. Sequências de vitórias e derrotas acumulam grandes “pacotes” destes sentimentos.

Enquanto está perdendo e frustrado, tudo o que você quer é vencer e se sentir motivado novamente, especialmente se o período de motivação foi longo e muito recompensador. Isso se torna mais intenso quando são criadas situações extremas, exatamente como nas sequências de vitórias e derrotas observadas em Overwatch. O sistema é feito exatamente para manter o jogador determinado a alcançar um objetivo que se torna satisfatoriamente próximo em um momento e desesperadamente distante no outro.

Por mais frustrante que seja, a sequência de derrotas dificilmente será longa o suficiente para fazer o jogador desistir e abandonar o jogo. Grandes períodos de frustração abalam verdadeiramente o desempenho, e isto é prontamente percebido pelo sistema – é aí que o misterioso “MMR” entra em ação. Quando o jogador passa a perder continuamente e seus índices de desempenho individual começam a se tornar atípicos, partidas magicamente favoráveis começam a surgir, com companheiros de time melhores e oponentes com duas mãos esquerdas. Também é normal que as derrotas sejam intercaladas com uma ou outra vitória que dão uma pequena dose de estímulo para que o jogador não desista.

O MMR também age na mão oposta durante as vitórias. Quando a motivação estimula a melhora contínua do seu desempenho também de forma atípica, o sistema também percebe e tende a jogá-lo para baixo. Assim como a frustração não pode durar para sempre para que você não desista, Overwatch não pode ser um jogo fácil para a maioria dos usuários, que acabariam entediados e abandonando o game. O fato é que o sistema sabe muito bem qual é o seu desempenho real, e este é diferente do que você vê como seu SR. A pontuação visível é algo momentâneo que reflete seu estado de motivação, algo manipulado pelo sistema de matchmaking para que você permaneça jogando.

Vale a pena ver este vídeo do canal Unity Lost que mostra um jogador experiente de Overwatch que fez um experimento com duas contas diferentes, porém jogando durante a mesma temporada e com os mesmos personagens. Apesar de ser o mesmo jogador em situações extremamente semelhantes, as duas contas acumularam uma diferença de 700 pontos de SR entre elas:

Ao colocar as coisas dessa forma, parece que é impossível subir de SR ou de elo. É possível sim, mas não é algo imediato e pode depender mais da classificação inicial da temporada, de como o jogador tira proveito de suas vitórias e usa a própria motivação para ganhar mais e mais pontos, e o quão longas serão suas sequências de derrotas. Alguns jogadores aprenderam a manipular o sistema ou o MMR e boa parte das estratégias envolvem encurtar sequências de derrotas causando auto sabotagem (basicamente, trollar).

Em resumo, a estratégia de fazer um jogo viciante não está em manter os jogadores motivados o tempo todo, mas fazê-los sentir o gosto da motivação causado pelas vitórias para, em seguida, fazê-los sentir muita, mas muita falta disso. Durante estes períodos de altos e baixos, não importa o sentimento, você continuará jogando: para manter o prazer alcançado durante as vitórias ou pela vontade imediata de reavê-lo durante as derrotas.

Mas fique tranquilo! Chega uma hora que você se cansa destes ciclos ou percebe que está sendo manipulado pelo sistema para te manter vici….

…vocês já viram um evento novo que vai dar várias skins lindas? E o cenário novo de escolta? MEU DEUS, PRECISO JOGAR OVERWATCH AGORA!

Receba as novidades do meuPS no email

Nós não enviamos spam :)

Ao clicar em receber novidades você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade. Você pode optar por parar de receber os emails a qualquer momento.