Review

Ghost of Tsushima Director’s Cut: vale a pena?

Versão de diretor da aventura de Jin Sakai coloca o samurai em uma aventura mística por seu passado que tanto o atormenta

por Thiago Barros
Ghost of Tsushima Director's Cut: vale a pena?

Quando a tempestade chegou, e o Fantasma de Tsushima atacou pela primeira vez, surpreendeu muita gente e fechou a geração PS4 com chave de ouro. Um ano depois, Jin Sakai tem uma nova jornada, em Ghost of Tsushima Director’s Cut. E ela vai além de expulsar a Águia e os mongóis da Ilha Iki.

O principal desafio do samurai é convencer dois diferentes públicos. Primeiro, quem jogou o título original – que precisará gastar entre R$ 55 e R$ 160 (dependendo do upgrade desejado) para viver as novas aventuras. E, claro, quem nunca jogou a obra da Sucker Punch. Nesse caso, o valor pode chegar a R$ 350.

Vale a pena? A resposta, felizmente, é a mesma para os dois casos. Com gráficos lindos, gameplay viciante, história envolvente e uma boa quantidade de novas aventuras, a “versão do diretor” de Ghost of Tsushima é muito mais do que um simples port. É uma expansão muito completinha e que tem tudo para agradar, especialmente no PlayStation 5.

Não devemos esquecer o passado

Ghost of Tsushima conta a história de Jin Sakai, um samurai que tem que lutar contra a invasão mongol na Ilha de Tsushima, no Japão. Tudo começa com uma grande batalha na costa da ilha, onde os mongóis levam a melhor e ele é obrigado a dar um passo atrás para no futuro dar dois a frente.

Ghost of Tsushima Director's Cut leva o jogador à Ilha Ikki
Ghost of Tsushima Director’s Cut leva o jogador à Ilha Ikki (Reprodução/Thiago Barros)

Encontrar aliados, melhorar seus equipamentos e ir derrotando, pouco a pouco, os inimigos, até tentar tirá-los de vez da região. A sua jornada, é claro, não é fácil. Há muitas nuances na aventura, a narrativa envolve bastante e a quantidade de conteúdo jogável é muito impressionante. Não só na história em si como nas sidequests.

Para quem gosta de aventuras em terceira pessoa que têm objetivos variados, como Assassin’s Creed, The Witcher e Marvel’s Spider-Man, por exemplo, é um prato cheio. Pense numa combinação das melhores mecânicas, diálogos e missões desses títulos, adicione um cenário belíssimo de uma ilha japonesa, e pronto: eis aí Ghost of Tsushima, um dos grandes jogos de 2020.

Ambientação de Ghost of Tsushima Director's Cut é impecável
Ambientação de Ghost of Tsushima Director’s Cut é impecável (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Marcou tanto que ganhou Ghost of Tsushima Director’s Cut. Uma versão mais longa, com uma expansão, que chega ao PlayStation 4 e ao PlayStation 5 nessa sexta-feira (20). Nela, Jin retorna à Ilha de Iki, local onde viveu uma experiência traumática com seu pai, que ajudou muito a moldar seu caráter e sua personalidade.

A história é bacana e envolvente, além de ter alguns plot twists como no jogo original. O único ponto que deixa a desejar é a ausência de decidir um final levemente diferente para a história. Em Ghost of Tsushima, você tem dois caminhos para seguir no fim. Na expansão, o Fantasma segue um caminho já pré-estabelecido.

Mas o que importa é o futuro

O conteúdo extra conta com 10 novas missões de história, motivadas por flashbacks de Jin e uma nova inimiga mongol que ameaça tomar Iki e rumar para Tsushima. Além disso, há novos colecionáveis e sidequests, dando recompensas e melhorias para armas e equipamentos de Jin Sakai.

Combates são intensos no game da Sucker Punch
Combates são intensos no game da Sucker Punch (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Se você jogou o game original no PS4 e quer fazer o upgrade para o mesmo console, ele custa R$ 104,90, e o acesso aos Contos de Iki não tem grandes dificuldades: só ir no menu de missões e ele estará liberado por lá, caso você tenha passado do Ato 2 do jogo. Se quiser fazer transferência para o PlayStation 5, há alguns outros passos.

Com os dois consoles na mesma rede, vá nas configurações do PS5 e busque a transferência de dados do PS4. Realize o procedimento e importe o save do PlayStation 4. Então, abra Ghost of Tsushima Director’s Cut e vá na opção de transferir o conteúdo. O jogo carregará exatamente onde você parou, e os Contos de Iki também estarão no menu.

Transfira o save de Ghost of Tsushima para Ghost of Tsushima Director's Cut
Transfira o save de Ghost of Tsushima para Ghost of Tsushima Director’s Cut (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Dito isso, agora é tudo como sempre foi em Ghost of Tsushima. Há novas possibilidades de atividades, como os Santuários de Gatos, o Torneio de Bokken, os Desafios de Arquearia a sidequest Mão Amiga, mais Artefatos, como Bandeiras Sakai e Registros de Iki, e o seu samurai continuará ganhando pontos de habilidade, amuletos, acessórios e por aí vai.

“A Jornada do Jin”, sequência original de missões de história do jogo, tem 24 capítulos. Os “Contos de Tsushima” são 38. Os “Contos Míticos” são 8. Em Ghost of Tsushima Director’s Cut, são mais 11 missões nos “Contos de Iki” e um “Conto Mítico”, além de surpresas pelas regiões do mapa – como também acontece no jogo original.

Duelos são parte fundamental de Ghost of Tsushima Director's Cut
Duelos são parte fundamental de Ghost of Tsushima Director’s Cut (Foto: Reprodução/Thiago BArros)

O bacana é que não é apenas um DLC, mas sim um conteúdo completo, uma experiência que parece bem amarrada ao jogo, tem o seu próprio mundo aberto e uma narrativa envolvente, com cenas que acrescentam à história do Fantasma de Tsushima. Não chega a ser suficiente para um standalone, mas vale muito como um complemento.

Uma nova geração de Tsushima

Visualmente, Ghost of Tsushima já era incrível no PlayStation 4, e quem jogou no PS4 Pro não deve nem sentir tanta diferença visual nessa nova versão. Contudo, a atualização para 60fps faz a diferença. Se os gráficos são quase a mesma coisa, o desempenho fica bem mais agradável. As animações são mais suaves, não há travamentos, nem borrões nas lutas mais intensas. Tudo isso em 4K.

Visual de Ghost of Tsushima é encantador desde o PS4
Visual de Ghost of Tsushima é encantador desde o PS4 (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Sem falar, é claro, nas outras melhorias que o PlayStation 5 pode proporcionar em Ghost of Tsushima Director’s Cut. O carregamento rápido é impressionante. Seja do menu, ao iniciar o jogo, ao selecionar um card de atividade no menu do PS5 ou in-game mesmo. No DualSense, o feedback tátil também está presente, deixando as lutas ainda mais intensas.

Outro ponto que merece destaque é o Áudio 3D. A trilha sonora e os efeitos de áudio de Ghost of Tsushima são tão aclamados quanto o visual do jogo. Ambos receberam diversos dos principais prêmios da imprensa, e isso fica ainda mais claro usando o headset do PS5 na nova versão do game. A ambientação fica completa graças ao excelente trabalho de sonorização do título.

Variações de clima e cenários são estonteantes
Variações de clima e cenários são estonteantes (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

Falando nisso, ele tem localização completa para o português, além de opção também para o áudio original em japonês, com a sincronia labial dos personagens ajustada para tal. Para quem curte, também há alguns extras interessantes, como Comentários do Diretor e Mini Livro de Arte Digital.

E também há a presença do modo Legends, cooperativo online, lançado em outubro de 2020 como DLC, e revigorado para a temporada. Em setembro, inclusive, haverá uma grande atualização gratuita para ele, chamada “Rivals”, com novos troféus e cosméticos, e ele pode ganhar ainda mais fãs, porque será disponibilizando na PlayStation Store para todos os jogadores.

Ghost of Tsushima Director’s Cut: vale a pena?

É impossível não recomendar Ghost of Tsushima Director’s Cut. É uma versão melhorada – e olha que nem dava para imaginar isso – de um dos grandes jogos do PlayStation 4, agora disponível no PlayStation 5. Claro, há pontos de vista e valores diferentes para o upgrade, mas não há um cenário em que não valha a pena fazê-lo se você gostou do título original.

Ghost of Tsushima é uma baita obra da Sucker Punch
Ghost of Tsushima é uma baita obra da Sucker Punch (Foto: Reprodução/Thiago Barros)

O retorno de Jin Sakai à Ilha Iki tem uma ambientação incrível em áudio e vídeo, a jogabilidade consagrada e novas missões e conteúdo extra que farão com que os fãs do jogo gastem, pelo menos, umas 10 a 15 horas na exploração. No PS4, não há as melhorias para a nova geração, mas o preço é bem menor, então também acaba sendo mais justa.

E se você não jogou Ghost of Tsushima, sinceramente, está esperando o que? Está mais do que na hora, e essa é uma oportunidade bem bacana de aproveitar não só a história inicial, como tudo o que a expansão de Iki traz para o jogo. É uma obra-prima da Sucker Punch e que está ainda melhor agora!

Veredito

Ghost of Tsushima Director's Cut
Ghost of Tsushima Director's Cut

Sistema: PlayStation 4 | PlayStation 5

Desenvolvedor: Sucker Punch

Jogadores: 1

Comprar na Amazon
90 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Conteúdo da expansão é vasto e variado
  • Nova história é interessante
  • Recursos do PS5 deixam o jogo ainda melhor
  • Muitas opções de jogabilidade
  • Ambientação impecável em áudio e vídeo
Desvantagens
  • Pouca evolução visual no PlayStation 5
  • Falta um "poder de decisão" no final
  • Jogo pode ficar repetitivo ao longo do tempo
Thiago Barros
Thiago Barros
Editor-Chefe
Publicações: 1.864
Jogando agora: Far Cry 6
Jornalista, teve PS1, pulou o 2, voltou no 3 e agora tem o 4, o 5 e até o PSVR. Acha God of War III o melhor jogo da história do PlayStation.

Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos