Review

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles: vale a pena?

Jogo retrata a narrativa de forma fiel e consegue, através das mecânicas nos combates, entregar uma experiência agradável

por Jean Azevedo
Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles: vale a pena?

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles é um game baseado em um dos mais recentes sucessos no mundo dos animes. Tanto nos mangás quanto na animação, a recepção dos fãs foi notável. No jogo, a CyberConnect2 tem a missão de dar sequência ao legado.

Assim como nas demais adaptações, a história se manteve fiel à original. Tanjiro Kamado vivia uma vida tranquila até sua família sofrer o ataque de um demônio misterioso. Somente sua irmã, Nezuko Kamado, sobrevive ao atentado, mas acaba infectada. Para encontrar uma cura, ele decide se juntar aos Caçadores de Demônios, responsáveis proteger a humanidade das ameaças.

Testamos Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles no PlayStation 5. Infelizmente, a obra não conta com localização em PT-BR. O áudio tem como opções o inglês e o japonês — com as vozes originais dos atores do anime.

Jogabilidade requer precisão

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - Tanjiro corta a pedra após treinamento com Urokodaki
Tanjiro e os outros caçadores precisam de destreza e agilidade para se darem bem (Fonte: Reprodução/Jean Azevedo)

O gameplay do jogo de Demon Slayer é bem diferente das demais obras da CyberConnect2. A desenvolvedora produziu títulos onde os cenários e controles são bem semelhantes. Neste aqui, mesmo com as similaridades, a variedade nos combos se destaca.

As arenas em formato redondo, que foram utilizadas em Naruto Ultimate Ninja Storm (PS3), por exemplo, são parte do DNA das adaptações e também marcam presença em The Hinokami Chronicles.

cenarios em Naruto x Demon Slayer
Formato das arenas faz parte do DNA das adaptações da desenvolvedora (Fonte: CyberConnect2)

No entanto, como mencionado acima, os ataques têm variações interessantes. Segurando os botões e acionando os analógicos em conjunto de forma breve e rápida, os lutadores aplicam combos leves, pesados e poderes especiais.

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - Tanjiro lutando contra demônio
Encontrar o fio de abertura é mais rápido, mas trabalhoso (Fonte: Reprodução/Jean Azevedo)

Durante as batalhas, barras indicando a vida dos caçadores e a quantidade de mana disponível para gastar em habilidades são exibidas no canto esquerdo superior. Em certos momentos, ainda há como acionar um suporte, que te protege de golpes indefensáveis ou assume seu lugar na arena.

Outro indicador, este na parte inferior esquerda da tela, sugere quando seus especiais estão prontos para uso. É possível utilizar seus poderes tanto para deixar seus combos mais potentes quanto para ativar as skills características de cada personagem.

A única diferença das brigas entre os próprios caçadores e ao entrar em confronto com os demônios é a forma como a luta termina. Ao enfrentar as criaturas, quando executar um bloqueio perfeito, o “fio de abertura”, presente no anime, pode acionar um comando para finalizar o oponente mais rapidamente.

Exploração é simples e não atrapalha o progresso

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - Tanjiro e seus amigos explorando uma floresta
Mapas são bem diretos e fica bem fácil prosseguir na história (Fonte: Reprodução/ Jean Azevedo)

Não tem muito grinding no jogo de Demon Slayer: andar pelas fases será uma tarefa rápida no modo história. Basta reunir informações com os habitantes ou pegar pistas, conforme explora os locais para encontrar o que procura. É divertido o fato de contar com uma perspectiva diferente dos eventos do anime e por não tirar o sentido do game com missões secundárias descartáveis.

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - Tanjiro consegue farejar os demônios
Os demônios são rastreados pelo olfato de Tanjiro (Fonte: Reprodução/ Jean Azevedo)

Os cenários são pequenos e curtos. Ao escolher qual parte da narrativa pretende ingressar no menu do modo, uma vila, florestas perigosas e até mansões serão seus destinos. Para chegar aos objetivos, é possível acionar o olfato potente de Tanjiro. Ele consegue farejar o rastro dos demônios pelo mapa e chegar rapidamente aos locais.

Narrativa é fiel, mas modelo adotado não favorece

Infelizmente, os desenvolvedores não aproveitaram tão bem o início da história. Mesmo seguindo fielmente cada passo de Tanjiro na busca pela recuperação da humanidade de Nezuko, o modelo adotado deixa aquele gosto de “poderia ter sido melhor”, principalmente no início.

Os cenários, monstros, personagens e demais elementos envolvidos são retratados de forma ideal, com uma boa dose de capricho. Assim como em outras produções da CyberConnect2, é necessário ficar ligado nas cutscenes para acertar alguns comandos. Nesse quesito, o título ficou completíssimo.

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - Tanjiro e Nezuko em Tokyo, pouco antes de encontrar Muzan
Tanjiro e Nezuko em Tóquio durante missão. (Fonte: Reprodução/Jean Azevedo)

No entanto, nem tudo é perfeito. O jogo começa já no fim do treino de Tanjiro nas montanhas, pouco antes do exame para se tornar oficialmente um Caçador de Demônios. A trama com Nezuko e a apresentação de Giyu Tomioka estão no game, mas acessáveis através das memórias adquiridas por fechar os capítulos. Resumindo, quem não assistiu ao anime ou leu o mangá, pode ficar um pouco perdido no início.

Versão de PS5 tem vantagens, mas não aproveita o DualSense

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - Tanjiro em Tóquio antes de encontrar outro demônio
Visuais encantam, assim como no anime, mas faltou aquele “algo a mais” na nova geração (Fonte: Reprodução/ Jean Azevedo)

Os visuais do anime são muito bem reproduzidos, os carregamentos são bastante rápidos, mas o game deixa a desejar no melhor aproveitamento do console. O DualSense, responsável direto pela imersão no videogame, não é bem explorado.

Os gráficos não estão abaixo da maioria dos jogos do gênero, mas a desenvolvedora promete melhorias em um futuro próximo, com direito a 60 FPS na taxa de quadros. Portanto, não espere grande fluidez no gameplay, pelo menos até a estreia do patch.

No modo história, é possível jogar até com Nezuko

Nezuko, Inosuke, Zenitsu e outros caçadores são jogáveis no modo história. Conforme alguns pontos se desenrolam, a ação se passa em dois lugares ao mesmo tempo, com o game te colocando para vivenciar todas. 

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - seleção de personagens oferece muitas opções para as missões
Em determinadas lutas, é possível até escolher qual deles encara os demônios (Fonte: Reprodução/Jean Azevedo)

Vale destacar a personalidade de cada um dos personagens. A fúria de Inosuke Hashibira é transcrita em seus golpes e até no jeito selvagem de caminhar pelos cenários. Com Zenitsu, é bem engraçado como adaptaram sua postura medrosa, principalmente quando as criaturas o assustam ou ele fica sozinho.

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - Zenitsu quando está focado na batalha
Quando está focado na batalha, Zenitsu é implacável… (Fonte: Reprodução/ Jean Azevedo)

Assim como no anime, se Tanjiro recebeu ajuda deles durante os confrontos, eles estarão disponíveis como suporte ou como lutadores principais. Conforme progride na narrativa, mais caçadores e suas versões são liberados para jogar no modo Versus.

Para terminar os capítulos não leva muito tempo. De forma contínua, sem explorar todos os cenários ou coletar todas as memórias, os jogadores levarão cerca de 5 a 6 horas para fecharem o jogo completamente.

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles: vale a pena?

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles - Tanjiro preparado para cortar a cabeça de um oni
Acertaram em cheio, mas preço está um pouco “salgado” (Fonte: Reprodução/ Jean Azevedo)

Pelo preço ofertado na PlayStation Store (R$ 299,90), é valido esperar uma promoção para desfrutar da obra. O modo Versus pode entreter, mas o principal produto aqui é o modo história. Como é uma experiência bem curta, provavelmente, outras opções no seu catálogo do PlayStation sejam mais atrativas — a não ser que você seja um grande fã da franquia.

Apesar disso, é um bom game, que entrega uma jogabilidade bem divertida e agradável. Também é fiel ao adaptar a história, mesmo deixando o início um pouco confuso e com possibilidade de ter sido melhor explorado.

As mecânicas, por sua vez, precisam de um pouco de agilidade, principalmente ao tentar uma execução perfeita. No entanto, se preferir uma abordagem mais agressiva pra cima dos demônios, nada te impedirá de fatiá-los como quiser.

Para quem gosta de desfrutar seus games de forma mais competitiva, o jogo também oferece a opção. Durante os testes, não foi difícil encontrar partidas e o lag não prejudicou a experiência. No geral, é uma boa alternativa para o gameplay.

Veredito

Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles
Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba — The Hinokami Chronicles

Sistema: PS4 e PS5

Desenvolvedor: CyberConnect2

Jogadores: 1-2

Comprar na Amazon
70 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Jogabilidade é cheia de opções
  • Nada de prender o progresso dos jogadores com missões secundárias que não se encaixam na história original
  • Momentos chaves do anime recriados com fidelidade
  • Personalidade dos personagens é retratada de forma interessante
  • Ótimo uso das mecânicas na batalha com os principais Demônios deixa as lutas divertidas
Desvantagens
  • Falta de localização PT-BR
  • Início da narrativa não será facilmente compreendido por quem não conhece a obra original
  • Nenhuma interação especial com o DualSense
  • Pouco tempo para fechar o jogo
  • O jogo está caro atualmente
Jean Azevedo
Jean Azevedo
Redator
Publicações: 1.462
Jogando agora: Returnal
Talvez eu goste mais de Marvel's Spider-Man do que deveria.