Review

Days Gone para PC: vale a pena?

Novo lançamento da PlayStation Studios para PC entrega uma experiência otimizada

por Vítor Amorim Heringer
Days Gone para PC: vale a pena?

Após Horizon Zero Dawn, agora é a vez da PlayStation Studios estrear Days Gone no PC. A aventura de Deacon St. John promete gráficos incríveis, diversas personalizações de exibição, taxa de quadros desbloqueada, suporte à monitores ultrawide e muito mais. Será esta a melhor versão do jogo?

O MeuPlayStation pôde analisar o game em duas configurações diferentes: um PC mais parrudo, munido com uma RTX 2060, i7 de 10ª geração, 32 GB de memória RAM e um SSD Nvme, além de um notebook Odyssey da Samsung, com uma GTX 1050Ti, i7 de 7ª geração, 8 GB de memória RAM e também um SSD Nvme.

Já podemos dizer que Days Gone para PC fez bonito e a Bend Studio se esforçou para entregar uma experiência otimizada para várias configurações diferentes. Um ponto importante, ainda mais que os acessórios estão com valores bem acima por conta da pandemia. Caso queira saber sobre história, mecânicas de gameplay e muito mais, veja o nosso veredito no console da Sony:

Digno de nova geração

O meu PC conta com boas configurações, mas não chega a ser uma máquina “superpoderosa”. Portanto, o máximo que consegui mantendo uma boa fluidez no gameplay foi em 4K com a configuração de gráficos no “alto” e em 1440p no “muito alto”. A primeira manteve a taxa de quadros entre 45 a 55 FPS, enquanto a segunda conseguiu estáveis 60 FPS.

Ambas as opções entregaram visuais de “encher os olhos”. A sensação é que estava vendo gráficos dignos de nova geração em um mundo aberto que impressiona pela beleza e riqueza dos detalhes, mesmo sem estar no máximo possível que a versão pode atingir. Além disso, o alcance de visão melhorado dá a impressão de que temos um mundo ainda maior para explorar.

Imagem do protagonista de Days Gone para PC e uma floresta de Oregon com uma montanha no fundo
Imagem tirada no PC em configuração “muito alta”

Apesar disso, o título conta com um ponto negativo: a falta do DLSS (Deep learning super sampling), da Nvidia. Esta tecnologia de inteligência artificial possibilita uma experiência ainda mais ousada com máquinas sem as placas RTX mais recentes. Jogos como Control e Death Stranding contam com o recurso e permitem que os jogadores possam testar opções gráficas antes inimagináveis. Vale lembrar que Horizon Zero Dawn também foi lançado sem DLSS no PC.

Também é válido apontar a falta de Ray Tracing em Days Gone para PC. Em 2021, quase todos os grandes jogos possuem a tecnologia de aprimoramento de iluminações. Por exemplo, os lançamentos de PlayStation 5 já vem com o recurso. Pode não ser o quesito mais importante ou um grande diferencial, mas certamente seria bem-vindo para tornar a aventura ainda mais admirável.

Sim, roda muito bem em PCs mais antigos

Caso você esteja preocupado se a sua máquina rodará bem o game, é bem possível que sim. A Bend Studio parece ter se esforçado ao máximo para otimizar Days Gone para uma boa parcela dos jogadores poderem aproveitar a aventura em Oregon com a qualidade que merece.

A placa de vídeo GTX 1050ti e os 8 GB de memória RAM já começam a sofrer um pouco, mas “aguentam o tranco” muito bem. Foquei na resolução de 1080p e alterei as opções gráficas entre “muito alto”, “alto” e “médio”. A primeira sofreu um pouco para segurar os 30 FPS, principalmente em combate, enquanto a segunda se manteve entre 40 a 45 FPS e a última muito perto de 60 FPS.

Imagem do protagonista de Days Gone para PC de costas segurando uma arma em uma floresta
Imagem tirada no notebook em configuração “alta”

Obviamente, a sensação de “nova geração” estava bem longe de um PC mais parrudo. A vegetação, principalmente, perdeu um pouco sua qualidade a cada vez que diminuía a configuração, cenários ficaram mais simples e a nitidez não era a mesma. No entanto, em nenhum momento deixou de ser um jogo bonito. O melhor de tudo? Poderia escolher entre três opções que poderiam atender minha vontade entre melhores visuais ou desempenho mais fluido. Um ponto que cada jogador tem sua preferência.

Imagem do protagonista de Days Gone para PC segurando uma arma em uma floresta
Imagem tirada no notebook em configuração “média”

Comparação com PlayStation 4 e PlayStation 5

Para aqueles que estão com curiosidade se as versões de console ficaram muito para trás, não, os videogames ainda fazem bonito. Obviamente, Days Gone para PC atinge gráficos incríveis, principalmente se você conta com uma máquina poderosa. Mas, ainda assim, a diferença está em detalhes dos cenários e na nitidez em geral, pelo menos nas opções gráficas testadas nesta análise.

Em novembro de 2020, o título de sobrevivência da Bend Studio recebeu uma atualização para o PlayStation 5 — via retrocompatibilidade — que o deixou bem mais bonito, também com ótimos visuais nos cenários, roupas, personagens e na vegetação. Além disso, consegue chegar a 60 FPS e possui fluidez excelente, o que diminui a diferença para o PC.

Imagem do protagonista de Days Gone sentado em sua moto no meio de uma rua com carros na sua frente e um cenário pós-apocalíptico
Days Gone no PlayStation 5 “briga de frente” com as configurações mais altas dos PCs

Então, quer dizer que o PlayStation 4 perde feio neste briga? Também não. Mesmo no console da geração passada, o jogo conta com um dos mundos abertos mais impressionantes dos últimos anos. Eu mesmo zerei o game pela primeira vez no PS4 Fat e me lembro até hoje de parar para apreciar as belas vistas de Oregon.

Days Gone para PC: vale a pena?

O mais novo lançamento da PlayStation Studios chega ao PC como um dos grandes títulos da plataforma, principalmente por conta da sua otimização logo em sua estreia. Seja com uma máquina potente, mediana ou um pouco mais antiga, você deverá ter uma boa experiência e curtirá a jornada de Deacon St. John sem problemas.

Em hardwares “superpoderosos”, Days Gone para PC alcança gráficos dignos de nova geração. No entanto, o custo para isso poderá superar o preço de dois PlayStation 5 somados. Além disso, os jogadores que possuem essas configurações não podem aproveitar do Ray Tracing e do DLSS, duas tecnologias que estão em alta no momento e fazem diferença para deixá-lo ainda mais bonito e polido.

Imagem do protagonista de Days Gone para PC montado em sua moto passando por uma floresta
Imagem tirada no PC em configuração “muito alta”

Outro ponto importante a mencionar é a quase falta de bugs, principal crítica do lançamento jogo no PlayStation 4. Em minha experiência, mal pude ver bugs que afetaram o gameplay do título. O único que não passa despercebido é a “moto fantasma”, a qual costuma entrar em algumas paredes e outras coisas dos cenários, mas não chegou a atrapalhar.

Dessa maneira, a Sony consegue entregar o seu primeiro grande AAA muito bem otimizado para a sua estreia no PC. Enquanto Horizon Zero Dawn, da Guerrilla Games, teve alguns problemas que só foram corrigidos posteriormente.

Days Gone para PC está disponível na Steam e na Epic Games Store.

Veredito

Days Gone (PC)
Days Gone (PC)

Sistema: PC (Steam)

Desenvolvedor: SIE Bend Studio

Jogadores: 1

Comprar na Amazon
82 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Experiência otimizada para várias configurações
  • Bugs quase inexistentes
  • Variedade de personalizações de gráficos
  • Visuais podem alcançar uma versão digna de nova geração
Desvantagens
  • Falta de Ray Tracing
  • Não há DLSS
Vítor Amorim Heringer
Vítor Amorim Heringer
Jornalista
Publicações: 1.944
Jogando agora: Assassin's Creed Valhalla (Ira dos Druidas)
Jornalista e faixa preta de Muay Thai apaixonado por RPGs e jogos japoneses. Estou sempre em busca de experiências incríveis e marcantes com os games.