Notícias

Guerrilla Games detalha o sistema de combate de Horizon Forbidden West

Em extensa publicação no PS Blog, Guerrilla detalha o ambiente hostil do Oeste Proibido

por Vinícius Paráboa
Guerrilla Games detalha o sistema de combate de Horizon Forbidden West

A Sony e a Guerrilla Games divulgaram, nesta segunda-feira (06), um extenso texto no PlayStation Blog, com o intuito de detalharem o sistema de combate de Horizon Forbidden West. Segundo a desenvolvedora holandesa, muitos inimigos (humanos e máquinas) surgirão para atrapalhar a vida de Aloy.

De acordo com Charles Perain, designer de combate do game, a Guerrilla buscou criar mais ferramentas para que a protagonista utilizasse das “mais variadas táticas para enfrentar adversários fisicamente mais fortes”.

Ainda segundo o dev, a ideia é deixar a jogabilidade mais rica, para que os players usassem mais combos e “Impulsos de Bravura”. Com isso, Aloy terá formas “eficientes e estilosas” para eliminar seus inimigos. Além disso, os fãs conseguirão melhorar armas e trajes em bancadas.

Inimigos mais autênticos com melhora na I.A.

Falando especificamente sobre os inimigos, Arjen Beij, programador chefe de I.A., afirmou que eles terão opções mais dinâmicas para enfrentarem Aloy. Isso inclui saltos e escaladas.

Os inimigos precisavam parecer mais autênticos e, para isso, melhoramos a fluidez e a continuidade dos movimentos, por exemplo, para parecerem mais capazes de cruzar um terreno acidentado. A I.A. em Horizon Zero Dawn já permitia algumas mudanças dinâmicas baseadas no terreno, mas quisemos ir além, adicionando saltos e escaladas como uma parte sistêmica do comportamento dos inimigos. Ao longo de todo o jogo, a I.A. buscará possíveis atalhos no intuito de evitar os desvios incômodos de antes.

Calma, ainda não acabou. Além dos saltos e escaladas, mais máquinas poderão nadar, para perseguirem a protagonista debaixo d’água. Não só isso, mas máquinas do estilo anfíbio poderão saltar para entrar e sair da água.

Animações de Aloy e dos inimigos

Anteriormente, a Guerrilla explicou que Horizon Forbidden West contará com uma árvore de habilidades reformulada. Graças a isso, os animadores do estúdio precisaram realizar pesquisas para entenderem a anatomia e a locomoção de um personagem.

Richard Oud, diretor de animação de jogabilidade, explica um pouco sobre os desafios que a equipe passou. Cada movimento precisa mostrar “traços de personalidade”, na visão dele.

O design de cada máquina ou classe de humano se baseia em uma função de jogabilidade clara, que a equipe de animação comunica ao jogador por meio de ações, posturas e movimentos. Utilizamos silhuetas e comportamentos característicos para que o jogador possa reconhecer e saber como reagir aos movimentos de um inimigo. Aproveitamos o timing desses movimentos não apenas para o jogador ter a oportunidade de atacar, bloquear ou fugir, mas também para que as próprias animações mostrem alguns traços de personalidade.

As reações do jogador e dos inimigos eram outro fator importante. Trabalhamos em conjunto com os designers do jogo para garantir uma jogabilidade desafiadora, mas ainda assim divertida, sem perder a autenticidade dos personagens. Os inimigos geralmente levam um certo tempo para mostrar a intenção deles, e assim o jogador pode reagir de acordo e obter uma resposta rápida e (quase) instantânea de seus comandos.

Conforme afirma Beij, os inimigos mostrarão essas “intenções” deles através de ações. Ao se aproximarem de Aloy, eles investigarão os arredores em busca de pistas, como quando avistam uma máquina eliminada furtivamente. Caso não te encontrem, formarão grupos e irão em busca da personagem.

Design de áudio ajudará o jogador nas batalhas

Segundo a designer de som sênior Pinar Temiz, os jogadores de Horizon Forbidden West receberão dicas sonoras sobre o que deverão fazer ao enfrentarem certas máquinas. Com isso, será possível distinguir entre uma abordagem corpo a corpo ou à distância.

Ataques corpo a corpo são comunicados com um som distinto que vai crescendo até o momento do impacto, enquanto os ataques à distância são acompanhados do som específico da arma carregando ou sons de projéteis. Principalmente em encontros que envolvem várias máquinas cercando o jogador, essas dicas de áudio ajudam a atrair a atenção do jogador para o atacante ou perigo mais iminente, para que ele possa reagir a tempo.

Novos inimigos para enfrentar em Horizon Forbidden West

Não faltarão inimigos para Aloy medir forças em Horizon Forbidden West. Os rebeldes da Regalla, uma facção da tribo Tenakth, prometem dar de cabeça para a ruiva, pois contarão com suas próprias funções e comportamento em combate. Oud disse o seguinte:

O objetivo era deixar o combate com humanos tão profundo e desafiador quanto o combate com máquinas. Então, ampliamos o sistema de combate e criamos mais formas de encontrar inimigos humanos no mundo. Queremos dar ao jogador a opção de atacar com o estilo de jogo que ele preferir, seja de perto ou de longe.

Já Perain afirma que haverá um novo recurso para recompensar a alternância entre combate a curta e longa distância. Ao acumular energia com a lança e lançá-la no inimigo, ela ficará alojada nele. Então, basta acertá-lo com uma flecha para causar uma grande quantidade de dano.

A explosão de ressonador recompensa os jogadores pelo uso de combos com a lança. Sempre que Aloy executa um ataque corpo a corpo, o ressonador na lança dela acumula energia. Essa energia pode ser lançada contra o inimigo e fica alojada nele por um breve período. Quando você acerta uma flecha antes da energia dissipar, causa uma quantidade tremenda de dano!

Por fim, Oud detalha um pouco sobre as classes de inimigos humanos. O “Campeão” é “confiante e experiente”, enquanto o “Soldado Rebelde” possui personalidade “turbulenta e versátil, com muitos movimentos soltos e desajeitados”.

Horizon Forbidden West será lançado no dia 18 de fevereiro de 2022 para PS4 e PS5.