Review

Windjammers 2: vale a pena?

Continuação com visuais modernizados do clássico jogo de frisbee chegou ao PS4

por Jean Azevedo
Windjammers 2: vale a pena?

Depois de 25 anos de espera, os fãs poderão se divertir na clássica franquia arcade de frisbee em visual totalmente moderno para os consoles atuais. Windjammers 2, sequência do jogo lançado em 1994, chega ao PS4 nesta quinta-feira (20). A Dotemu entrega uma jogabilidade bastante variada graças ao elenco de personagens.

A proposta do jogo é direta: vença todo mundo na cidade e chegue até o Round 5 para se tornar o “Campeão do Windjammers”. Tudo isso com menus e legendas totalmente em PT-BR — menos a nomenclatura dos locais, mas nada prejudicial.

A equipe do MeuPS testou a versão de PS4 no PS5 via retrocompatibilidade. Pode-se afirmar uma qualidade gráfica bem semelhante devido ao estilo adotado nas animações, então a experiência será a mesma, independente do console.

As regras do jogo

Não é apenas arremessar o disco no gol adversário e garantir pontos na partida — existem algumas regras na distribuição. Seu personagem terá de defender uma área atrás dele, pois, caso o frisbee inimigo passe, é ponto para o adversário e dependendo do setor onde o objeto bater, essa pontuação pode ser ainda maior.

As arenas apresentam uma variedade no desenho, mas a proposta é a mesma no final das contas. As regiões amarelas acrescentam cinco tentos no placar, as vermelhas apenas três, e caso caia antes da rede (ou na divisão de quadra improvisada em alguns cenários) são mais quatro pontos.

Windjammers 2- placar vitória
(Fonte: Jean Azevedo)

Os jogos são divididos em três sets, e o jogador com maior pontuação dentro de 90 segundos ou quem chegar à casa dos 17 primeiro garante o round. Vencendo duas rodadas, o player se consagra vitorioso no confronto. Caso perca, ele pode utilizar os créditos para uma nova tentativa.

Toda busca pela taça do Campeonato Windjammers 2 começa com dois créditos. É possível ganhar novas chances com a média de estilo conquistada nas jogadas, dadas após o final de cada set ao jogador. Completar a barrinha amarela garante mais uma entrada na competição, sem perder o progresso.

Outra maneira de conseguir créditos é mandando bem ao enfrentar os demais competidores. Windjammers 2 tem espécies de fases bônus exclusivas — e divertidas — para aumentar essa barra da “segunda chance”. Elas variam desde um treinamento com uma máquina lançadora de discos ao lançamento de frisbees para um cachorro.

Windjammers 2 - rodada bonus
(Fonte: Jean Azevedo)

Também vale mencionar: não dá para escolher os adversários na ordem que desejamos. Você entra no mapa e apenas dois estarão abertos. Quando terminar esse, outros dois serão apresentados. Selecione um, derrote-o, e uma nova dupla em diferentes posições da cidade aparecerá.

Windjammers 2 - mapa

Mecânicas divertidas

A jogabilidade do título ficou encaixada com a proposta. É possível escolher jogar na defensiva ou de uma maneira mais ousada explorando as mecânicas do jogo. A fluidez das partidas também merece ser elogiada, enquanto o visual mais moderno casou bem com o gameplay.

Isso fica bem claro quando os atletas fazem movimentos parecidos com os de jogadores de vôlei. Dá para fazer a recepção e escolher mandar o disco com efeito, com mais poder ou levantando-o para ganhar vantagem de terreno.

Windjammers 2 - Jao Raposa afundando adversário
(Fonte: Jean Azevedo)

Durante o tempo que o frisbee fica no ar, as habilidades de resposta dos personagens são carregadas. Eles podem mandar um “golpe” forte ou pegar os adversários fora de posição com uma manobra diferente. Combinando tudo isso, as partidas ficam bem animadas, mas tem um porém…

Windjammers 2 falha ao apresentar um tutorial ou alguma forma mais interativa para ensinar a jogar. Durante o review, os cinco jogos para se chegar à final foram longos e exaustivos. Apenas o guia do título não é o suficiente para aprender as mecânicas: é necessário se acostumar durante as partidas, um erro para quem não conhece a franquia.

Os personagens

Dez atletas formam o elenco de Windjammers 2 e cada um deles tem uma especialidade. Uma barra mostra o equilíbrio entre força e velocidade de cada um dos competidores na tela de seleção e eles contam com habilidades especiais diferentes para vencer com estilo.

Windjammers 2 - tela dos personagens
(Fonte: Jean Azevedo)

Os mais rápidos funcionam bem para contra-atacar, mas são derrubados quando são acertados por arremessos mais fortes. Os mais fortes deixarão a desejar na resposta e terão dificuldade de se reposicionar para evitar pontos adversários, porém, o lançamento dos frisbees é bem mais potente.

Infelizmente, eles não têm uma história a ser apresentada em Windjammers 2. É apenas escolher um deles, jogar, ganhar os troféus e pronto. Jão Raposa, o brasileiro do elenco, fala português ao lançar as habilidades e ao comemorar as vitórias, mas só.

Cenários

A Dotemu acerta novamente na escolha dos cenários. Durante os jogos, a torcida não reage diretamente aos acontecimentos, mas está sempre animada e conta com vários detalhes para se observar. Na praia aparecem cachorros, banhistas curiosos e muito mais para assistirem e darem vida às partidas.

Windjammers 2 - vitória na partida
(Fonte: Jean Azevedo)

Windjammers 2: vale a pena?

A Dotemu fez um bom trabalho com Windjammers 2 no geral, mas não é uma proposta atrativa para qualquer um. Como é um jogo arcade e os personagens não têm uma história para tentar buscar o troféu ou algo do tipo, é chato repetir o mesmo trajeto — até alterando a dificuldade, apenas para ser mais desafiador.

Jão Raposa campeão no Windjammers 2

Arremessar os frisbees é divertido conforme se aprende mais das mecânicas, e o desafio maior é competir online, mas não há nada além disso. Caso você seja um fã da franquia, vá sem medo, pois vale a pena. Se não foro caso, vale analisar com um pouco mais de cautela antes de comprar — apesar do baixo preço na PS Store (R$ 62,90).

Veredito

Windjammers 2
Windjammers 2

Sistema: PS4

Desenvolvedor: Dotemu

Jogadores: 1-2

Comprar na Amazon
70 Ranking geral de 100
Vantagens
  • A proposta é divertida
  • Visual dos personagens e dos cenários são bem trabalhados
  • Gameplay interessante
  • Personagens com habilidades variadas deixam jogo mais estratégico em certas situações
Desvantagens
  • Personagens sem história própria
  • Falta um tutorial melhor elaborado para o jogador saber como usar as mecânicas
  • Depois de terminar, não é tão vantajoso manter no videogame
Jean Azevedo
Jean Azevedo
Redator
Publicações: 2.294
Jogando agora: Returnal
Talvez eu goste mais de Marvel's Spider-Man do que deveria.