Review

One Piece: Pirate Warriors 4: vale a pena?

Jogo traz cenas marcantes do anime e conta com muitos personagens jogáveis

por Vinícius Paráboa
One Piece: Pirate Warriors 4: vale a pena?

“Sagashi mono sagashini yuku no sa! One Piece!” Se você reconheceu a frase (mesmo escrita em japonês), pode-se considerar um fã da obra de Eiichiro Oda. E é exatamente aí onde a Bandai Namco aposta em ‘One Piece: Pirate Warriors 4‘: um jogo para quem é apaixonado pela tripulação do Bando do Chapéu de Palha.

O game é o quarto da série, portanto, não é exatamente uma novidade para quem adquiriu algum dos títulos anteriores: trata-se do gênero musou, onde a grande sacada é derrotar centenas de inimigos de uma só vez com combos dos mais variados. Isso enquanto cumpre-se um objetivo principal na fase, como conquistar certa área do mapa ou eliminar chefões.

One Piece: Pirate Warriors 4 cumpre bem seu papel de entreter o jogador com uma boa variação de personagens selecionáveis, sendo que cada um tem um estilo diferente de luta. Além, é claro, de reviver cenas marcantes do mangá/anime. Entretanto, isto não livra o jogo de certos problemas como erros grotescos na localização e ao apresentar uma fórmula repetitiva.

One Piece Pirate Warriors 4

Uma aventura pela Grand Line

O jogo possui três modos para o jogador se divertir: “Log Dramático”, “Log Gratuito” e “Log do Tesouro”. O primeiro é a campanha principal, o segundo traz as mesmas missões da história mas com a opção de usar qualquer personagem desbloqueado e o terceiro vem com uma série de missões não vistas nos dois primeiros modos.

O foco aqui será o “Log Dramático”, onde acontecem várias das cenas conhecidas de One Piece. No entanto, não pense que você começará no East Blue dentro de um barril, como aconteceu com o protagonista Monkey D. Luffy. A campanha dá um belo salto temporal e tem início na Grand Line, no arco de Alabasta, onde o objetivo é salvar o país desértico das mãos do pirata Crocodile.

É aqui que One Piece: Pirate Warriors 4 começa a ficar um pouco decepcionante. Embora seja compreensível existir cortes na adaptação do anime para o jogo (são 926 episódios até o momento) muitas partes e personagens foram esquecidos. Em Alabasta mesmo, não há qualquer menção ao pato Carue, que chegou até a ser um tripulante do navio de Luffy, o “Going Merry”.

Após acabar o tour no deserto, o jogador ainda vai encarar outros cinco arcos: Enies Lobby, Marineford, Dressrosa, Ilha Whole Cake e Wano (sendo este último, uma história original). Cada passagem possui pelo menos seis missões, que demandam certo tempo para serem completadas, é verdade. Entretanto, quem conhece o mangá sabe: muita coisa acabou cortada.

De qualquer maneira, em cada parte adaptada o fã vai sentir boas doses de emoção ao rever cenas clássicas e de partir o coração. A despedida de Vivi Nefertari, o resgate de Robin, o “descanso” do Going Merry… estão todas lá para serem apreciadas com a emoção transmitida pelos dubladores originais.

One Piece Pirate Warriors 4

E por falar em dublagem, o título tem áudio apenas em japonês. Isto é compreensível, dado que as vozes marcantes vem exatamente do Japão. Legendas também estão no game, e o melhor: em Português do Brasil. Mas ao invés de ser exaltada, a opção chegou com problemas. Em várias partes da campanha, a legenda é simplesmente trocada para o espanhol sem qualquer explicação ou ação do jogador.

Jogabilidade repetitiva

Quem já desfrutou de um título musou sabe perfeitamente que é um “mais do mesmo”. O jogo começa empolgante, sendo bem divertido lidar com trezentos inimigos ao mesmo tempo com um só combo. O problema é: aquele mesmo combo vai se repetir inúmeras vezes através do gameplay.

Nem mesmo a variedade de personagens selecionáveis elimina esse problema. Desde o momento em que se lança um ataque, o jogador já tem ideia do resultado: os inimigos irão voar pelos ares, um atrás do outro.

E por falar nos lutadores, alguns conseguem voar, como são os casos de Crocodile e Sanji. E embora a mecânica soe interessante a princípio, não há meio de controlar sua altitude. Isto torna difícil a tarefa de atacar oponentes que estão no chão, mesmo quando a altura deveria ser vantajosa.

Por outro lado, a diversão de One Piece: Pirate Warriors 4 vem exatamente da quantidade de personagens jogáveis. Gosta de alguém que parta para pancadaria? Luffy está lá. Prefere um atirador mais estratégico? Usopp é uma boa opção. Velocidade é seu forte? Sanji atenderá este parâmetro. Existem lutadores mais fortes que outros, mas nenhum é fraco ao ponto de ser esquecido.

One Piece Pirate Warriors 4

Riqueza, fama e poder

“Riqueza, fama e poder”. A frase presente na primeira abertura do anime é válida para One Piece: Pirate Warriors 4. O jogo possui um sistema de recompensa envolvendo moedas e dinheiro (Berries), que podem ser gastos para aumentar o poder dos personagens.

A cada missão completada, dependendo do ‘rank’ conquistado, uma quantidade de moedas e dinheiro será concedida ao jogador. Então, basta ir até a árvore de habilidades de um lutador para melhorar sua vida, vigor, ataque, defesa, além de desbloquear combos mais poderosos. Isto será de importância fundamental para o andamento do gameplay.

One Piece Pirate Warriors 4

Conforme se avança pelo “Log Dramático”, os inimigos ficam mais difíceis de serem batidos. Portanto, cabe ao jogador escolher um personagem para ter preferência na melhora dos atributos. Editar a árvore é bem legal e faz o fã pensar na melhor build, isto até suas moedas e Berries esgotarem.

Gráficos aquém do esperado

A evolução gráfica de One Piece: Pirate Warriors 4 em relação ao terceiro título é nítida. O jogo parece mais bonito e agradável aos olhos dos fãs se comparado com o de 2015 (até porque são cinco anos de diferença entre eles). Mesmo assim, não é empolgante. Na verdade, as expressões e características dos personagens poderiam ser muito melhores.

Em cutscenes é difícil ver as figuras do jogo transmitindo emoção com seus olhares ou expressões faciais. Parece robótico, muito diferente de algo esperado do universo de One Piece, onde emoção é o que não falta.

Os inimigos dos Chapéus de Palha também não são exatamente diferentes uns dos outros. Enfrentar comandantes na mesma fase chega a ser estranho. É como se o oponente tivesse revivido e aparecido em outro local do mapa, pois seus designs são parecidíssimos. A variação acontece apenas quando se troca de arco, afinal não dá pra enfrentar um marinheiro na Ilha Whole Cake (território da Big Mom), não é mesmo?

One Piece Pirate Warriors 4

One Piece: Pirate Warriors 4 vale a pena?

One Piece: Pirate Warriors 4 é divertido e praticamente uma boa oportunidade para quem é fã dos Chapéus de Palha. Cumpre sua proposta de entreter o jogador com uma boa história e um gameplay bem construído, apesar de repetitivo.

Se você é fã da franquia, não deve se decepionar. Apenas faça suas malas e embarque em uma aventura pelos mares da Grand Line em busca do tesouro máximo, o One Piece. Caso não faça parte desse grupo, talvez não seja a melhor hora para adicionar o jogo à sua biblioteca.

Veredito

One Piece: Pirate Warriors 4
One Piece: Pirate Warriors 4

Sistema: PlayStation 4

Desenvolvedor: Omega Force

Jogadores: 1

Comprar na Amazon
70 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Variedade grande de personagens
  • Cenas marcantes estão no jogo
  • Árvore de habilidades bem feita
Desvantagens
  • Jogabilidade repetitiva
  • Erros de localização
  • Gráficos aquém do esperado