Review

NBA Playgrounds: Vale a pena?

Um jogo divertido, acima de tudo.

por Thiago Barros
NBA Playgrounds: Vale a pena?

O nome do jogo já diz muito: NBA Playgrounds é como um parquinho, daqueles de crianças, para fãs da National Basketball Association. Com um jeitão divertido, aquele estilo bem arcade e uma mistura entre atletas atuais e lendas do passado do melhor basquete do mundo, ele proporciona a seus jogadores uma experiência diferente do que se vê nos games de esporte hoje. Esqueça tudo o que você joga em NBA 2K. Aqui, a meta é fazer lances acrobáticos e se divertir!

Para quem teve a sorte de jogar Super Nintendo, NBA Playgrounds também será nostalgia pura. É impossível jogar o game da Saber Interactive e não lembrar de NBA Jam. A mecânica do jogo é a mesma do clássico dos anos 90: partidas de 2 x 2, com enterradas, tocos, pontes aéreas, dribles e até cotoveladas. Sem falar nos power-ups, com efeitos que tornam o jogo imprevisível e ainda mais divertido.

Brincadeira de criança?

Mas engana-se quem pensa que, por ser mais arcade, NBA Playgrounds é um jogo infantil. É, sim, um game que pode atrair as crianças por ser mais divertido, com gráficos cartunescos, além dos lances plásticos. Por outro lado, ele está longe de ser só isso. Até porque não é nada fácil se acostumar com a jogabilidade de NBA Playgrounds. Não que ela seja ruim, mas existem pontos difíceis de se dominar.

O tempo dos arremessos, por exemplo, é super importante para você fazer as cestas. Não só nos chutes longos como nas enterradas, pois você tem que apertar o botão para pular e, em alguns segundos, novamente para finalizar sua jogada. Quando você faz tudo certinho, ganha até 1 ponto a mais no placar do jogo por efetuar um arremesso perfeito. O problema é saber qual é este arremesso perfeito.

1
É preciso saber o tempo certo. Fonte: captura de tela.

Nas bolas de três é mais fácil de pegar o jeito, mas nas enterradas, com tantas animações e movimentos diferentes que os jogadores têm como fazer, é complicado encontrar o timing certinho. E como o ritmo do jogo é frenético, roubadas de bola, rebotes e tocos também não são simples de fazer, ou pelo menos de tentar, como nos jogos de simulação. Isso pode ser um pouco frustrante para quem joga 2K e decide se divertir um pouquinho no NBA Playgrounds.

No meu caso, por exemplo, demorei uns bons jogos até conseguir minha primeira vitória e pegar o jeito da coisa. Depois que consegui, ficou bem mais fácil – e divertido. Portanto, se você começar em NBA Playgrounds e achar o game difícil, calma. Tenha paciência, treine e, com algumas partidinhas você se acostuma e entra no ritmo. No início do jogo, rola até um tutorialzinho que pode ajudar a dominar mais comandos, que também são exibidos na tela antes de cada jogo – ofensivos e defensivos.

Aliás, vamos falar de menus, gráficos e som. Ótima notícia para os brasileiros: o jogo está disponível em português. Não o áudio, mas a exibição de informações é toda feita no nosso idioma, o que é excelente. Os menus são super simples e de fácil navegação. Os gráficos são aquilo que se espera de um jogo como esse: jogadores em forma de desenho, quase como caricaturas, cenários bem ambientados, com quadras em vários locais do mundo… E vê-se uma boa qualidade visual no jogo.

2
Visual cartunesco e legendas em PT-BR. Fonte: captura de tela.

O som é o que deixa um pouco a desejar. Se você jogou NBA Jam, sabe como a narração fazia a diferença é tornou-se um clássico de bordões inesquecíveis. Quem não lembra do BoomShakaLaka? NBA Playgrounds não tem esse carisma. Sem falar que a trilha sonora é fraca, o que conta muito num jogo de basquete, que é um esporte totalmente ligado à música – basta ver como NBA 2K dá importância às faixas que são reproduzidas no game.

Álbum de figurinhas

O elenco de estrelas de NBA Playgrounds é enorme, com atletas atuais e do passado. A grande questão é que você não tem acesso a todos eles assim que compra o jogo. O game possui um sistema de cartas, como o MyTeam do NBA 2K, ou o Ultimate Team dos jogos da EA Sports, como FIFA e Madden. Conforme você vai jogando, ganhando experiência e subindo de nível com sua conta, vai ganhando pacotes de figurinhas, que desbloqueiam os jogadores.

Além disso, cada jogador também evolui com esta experiência adquirida durante as partidas, tendo melhorias nos seus atributos. Quem você vai tirar nos pacotinhos é totalmente aleatório, o que pode ser divertido, mas também frustrante. Afinal, você pode querer jogar com o LeBron ou o Shaquille O’Neal, por exemplo, e não conseguir, e ter que se contentar com jogadores que você não curte ou nem conhece.

3
Sistema de figurinhas. Fonte: captura de tela.

A melhor maneira de conquistar pacotes com as cartas é jogar torneios. Quando você ganha uma competição, recebe um pacote ouro, que tem os melhores jogadores. A cada nível que você sobe, também desbloqueia um pacote aleatório e, por isso, jogando amistosos você também consegue liberar novos craques. Outra opção é o online do NBA Playgrounds, que é bem simples, mas pode ser divertido – apesar de o timing, por causa das conexões, não ser o mesmo de jogar com um amigo em casa, por exemplo.

Ao todo, são 30 times da NBA com 5 jogadores, atuais ou lendas, no elenco de NBA Playgrounds. Ou seja, 150 cartas. Cada pacotinho vem com 5 figurinhas aleatórias (quando sai uma repetida, você ganha apenas XP). Ou seja, até completar seu álbum, vai demorar um pouquinho. E o pior é quem não dá nem pra trocar ou bater bafo com os amigos para conseguir as que faltam.

Precinho Camarada

Um dos grandes atrativos de NBA Playgrounds é seu preço. Se os lançamentos do PlayStation 4 costumam custar 60 dólares, e algo equivalente a isso no Brasil, NBA Playgrounds custa um terço disso. Ele sai por apenas 19 dólares nos Estados Unidos. Na PlayStation Store do Brasil, custa R$ 61,50. Uma pechincha para o mercado atual. Se ele custasse o “preço cheio” comum, certamente iria ser classificado como “Esperar uma Promoção”, mas por esse valor camarada, é muito recomendado.4

Para quem tem crianças, para quem gosta de basquete, para quem curte games de esporte com pegada arcade, para quem jogou NBA Jam e sente saudade… Para todos! NBA Playgrounds não é um game perfeito, poderia ter uma jogabilidade um pouquinho mais apurada, e o som é bem abaixo do esperado, mas ele é super divertido, tem gráficos bem trabalhados e junta craques atuais com lendas da NBA em um formato de card game que te deixa viciado. Vale a pena!

Thiago Barros
Thiago Barros
Editor-Chefe
Publicações: 1.922
Jogando agora: Ghostwire Tokyo
Jornalista, teve PS1, pulou o 2, voltou no 3 e agora tem o 4, o 5 e até o PSVR. Acha God of War III o melhor jogo da história do PlayStation.