Review

NBA 2K17: Vale a pena?

por Thiago Barros
NBA 2K17: Vale a pena?

Dream Game: se os Estados Unidos são o Time dos Sonhos do basquete, NBA 2K17 é o Game dos Sonhos do fã do esporte.

Se NBA 2K17 fosse um time, ele seria o Golden State Warriors. Mesmo com sua derrota na final, a equipe de Steph Curry e companhia fez história na temporada passada, virou uma daquelas equipes lendárias da Liga e agora, em 2016/17, terá o reforço de um dos maiores nomes da NBA, Kevin Durant. Ou seja, o que já era ótimo ficou ainda melhor. 

É o mesmo caso de NBA 2K17. Seu antecessor já havia sido uma cestaça da 2K Sports, que não se acomodou com o sucesso e conseguiu aprimorá-lo para esta temporada em diversos aspectos. Impecável graficamente, o jogo tem inovações nos modos de jogo e, por incrível que pareça, melhorias até na que já parecia quase perfeita jogabilidade.

nba-2k17_analise_1

Presida

Hillary Clinton e Donald Trump disputarão voto a voto a Presidência dos Estados Unidos da América no final deste ano, mas em NBA 2K17 o presidente (das cestas) é você. No Modo Carreira deste ano, o seu personagem é apelidado de “Presidente das Cestas”, ou “Pres”, que seria algo como “Presida” no Brasil. 

A história começou a ser contada em “The Prelude”, inovador demo lançado no último dia 9 pela 2K Sports e agora com a versão completa os jogadores podem continuá-la. E esta edição traz muito mais opções de interações e de personalização à carreira do seu atleta do que qualquer outra da franquia.

nba-2k17_analise_2

Há quem reclame das cenas pré-estabelecidas, do apelido pré-definido e do enredo que não tem grandes variações, mas é uma tentativa de deixar o modo com um toque mais cinematográfico, como A Jornada de Fifa 17, e esta abordagem diferente é bem interessante para quem busca uma experiência além de somente fazer cestas.

Se no Modo Carreira você tem só o apelido de presidente, no novo MyLeague você é, de fato, quem manda na NBA. Nele, você pode criar a sua própria liga, usando não só aqueles times tradicionais da NBA como também equipes clássicas e até as seleções americanas que estão disponíveis no game.

É possível customizar o número de participantes, quantas partidas serão jogadas na temporada e muito mais. Além dele, há ainda os já famosos MyGM, que lembra uma Master League do PES, e o MyTeam, que é o equivalente ao Ultimate Team, do Fifa, onde você monta seu elenco com cartas de atletas compradas em packs.

nba-2k17_analise_4

Ou seja, não faltam opções para se divertir em NBA 2K17. Online, offline, sozinho ou com os amigos. 

Ainda mais real

O visual e a jogabilidade de NBA 2K17 são, assim como nos games anteriores desta franquia, dois grandes atrativos. A parte gráfica impressiona pelos detalhes. De cada jogador, de cada ginásio. Cada animação está ainda mais bonita. No MyCareer, você percebe isso nitidamente, já que são muitas cutscenes a todo momento.

nba-2k17_analise_5

Na jogabilidade, há dois pontos a se destacar. O primeiro é o novo menu para chamar jogadas. Ele tem um funcionamento diferente do anterior, sendo necessário mover seu analógico direito para selecionar o que você quer fazer. Pode ser complicado em seus primeiros lances, mas depois você se acostuma.

O outro é como os movimentos dos jogadores, especialmente na defesa, parecem ser mais adequados fisicamente ao que se vê em quadra. Roubar a bola no um contra um, por exemplo, está bem mais real, com os tapas nas bolas sendo mais eficientes quando feitos no momento correto. O mesmo acontece com os tocos.

Na parte ofensiva do jogo, a movimentação dos jogadores sem bola, mesmo que você não os oriente para fazer nada especial, também melhorou. Outro ponto que teve uma mudança foi o drible. Há ainda mais variações de movimentos, que seguem bastante intuitivas e feitas usando os analógicos do controle.

Além disso, NBA 2K17 tem uma dinâmica maior – combinando com a comparação que fizemos dele com o Golden State Warriors. O jogo está mais rápido, favorecendo muito aquelas transições velozes da defesa para o ataque. Para quem está acostumado aos games de futebol, está com uma pegada mais PES.

Apresentação impecável

Outro ponto que merece grande destaque em NBA 2K17 é sua apresentação. Tudo é feito nos mínimos detalhes, como a narração da partida. Antes, no intervalo e depois dos jogos, há uma resenha com Kevin Harlan, Shaq e Kenny Smith. E durante cada partida, há transmissões bem parecidas com as do mundo real.

nba-2k17_analise_6

Narradores, comentaristas e até repórteres de quadra dão as caras. E o legal é que não são sempre os mesmos. Há uma variação nas equipes de comentários. Assim como os ginásios, que foram recriados fielmente de acordo com a vida real, com seus locutores e cantos de torcida capturados in loco pela equipe da 2K Sports.

Conclusão

Em um ano onde Fifa e PES brigam pelo trono de melhor game de futebol como não se via há muito tempo, NBA 2K17 se firma como único simulador possível de basquete nos consoles. O sucesso é tanto que a EA sequer lançará um NBA Live neste ano. Em mais uma temporada, a 2K Sports fez uma cestaça com o seu game.

Gráficos lindos, modos de jogo atrativos e jogabilidade apuradíssima. Não falta nada no NBA 2K17, e por isso ele é muito recomendado por nós. Ainda um degrau acima do que se vê no futebol, em Fifa ou PES, e talvez superando o futebol americano de Madden, o novo NBA é forte candidato ao prêmio de melhor jogo de esportes do ano.

Se os Estados Unidos são o Dream Team, NBA 2K17 é o Dream Game.

2 - Selo de Ouro

*O jogo foi adquirido pelo redator.

Thiago Barros
Thiago Barros
Editor-Chefe
Publicações: 1.854
Jogando agora: Deathloop
Jornalista, teve PS1, pulou o 2, voltou no 3 e agora tem o 4, o 5 e até o PSVR. Acha God of War III o melhor jogo da história do PlayStation.