Review

Mighty Morphin Power Rangers Mega Battle: Vale a pena?

por Thiago Barros
Mighty Morphin Power Rangers Mega Battle: Vale a pena?

Ai, ai, ai, ai, ai! Novo game dos Power Rangers é mais Alpha do que Zordon; entenda na análise completa do Meu PS4.

Às vésperas do lançamento de um filme que dará um significativo reboot na franquia, Power Rangers ganhou também um game inspirado nas suas primeiras temporadas. É o Mighty Morphin Power Rangers Mega Battle, que traz de volta a formação original dos Rangers e tem uma proposta semelhante ao clássico do Super Nintendo nos anos 90.

Mas dessa vez a “Hora de Morfar” não teve um resultado tão poderoso quanto naquela época. Isso porque o jogo, apesar de divertido, especialmente quando se joga com os amigos, em multiplayer local, peca em muitos aspectos. Mighty Morphin Power Rangers Mega Battle é tipo o Alfa do seriado, sabe? Divertido, mas muito atrapalhado.

Saudosista, mas nem tanto

Mighty Morphin Power Rangers Mega Battle tem um estilo bastante diferente para os gamers do PlayStation 4. Graficamente falando, ele é mais infantilizado. Os cenários, os rangers, as cutscenes… Tudo é feito com uma pegada cartoon. O que pode ser atrativo para uma parcela infantil do público, é verdade, mas que afasta um pouco os adultos.

Até porque, com isso, o jogo acaba não passando tanta sensação de saudosismo como poderia. Apesar de trazer de volta muitos personagens clássicos e recriar momentos da série que marcaram época, a sensação é de que ele poderia ter um visual que tentasse ser mais intermediário pelo menos.

Mas isso não chega a ser um defeito. O que incomoda no caso das cenas é a ausência de diálogos em áudio. Tudo parece uma história em quadrinhos, somente com imagens na tela e legendas (em inglês) do que está sendo falado. Seria bacana ouvir as vozes dos personagens para criar esta maior imersão e gerar o já citado saudosismo.

E para piorar: a trilha sonora é bem incômoda. Ficar ouvindo aquelas musiquinhas do jogo o tempo todo pode ser chato. Na minha experiência, por exemplo, após alguns minutos eu já coloquei a televisão no mute. E isso piora quando você começa a achar que o jogo está mais difícil do que deveria – mas falaremos disso mais à frente.

O que acontece é simples: Mighty Morphin Power Rangers Mega Battle consegue, sim, gerar um sentimento saudosista e capturar a atenção dos jogadores. É bem legal, você consegue controlar qualquer ranger, morfar, formar o Mega Zord… Mas o problema é que depois desse sentimento, ele não tem o suficiente para manter os gamers ligados.

Feito para o multiplayer local

Se o enredo é baseado nas primeiras temporadas do seriado, a jogabilidade segue a linha do beat-em-up do jogo do Super Nintendo. O que é um ponto bem positivo. Mas sua execução não é das melhores. Os comandos são fáceis e variados, o que é ótimo, porém não é tão simples assim jogar.

Primeiro porque os bonecos precisam ou se movimentar ou bater, nunca os dois ao mesmo tempo, a não ser em golpes aéreos ou dashes. Depois porque há inimigos comuns que precisam levar muitos golpes para morrer. E, além disso, as caixas que dão itens também podem demorar muito para serem quebradas.

A movimentação é tranquila e executar os golpes também, o problema é só acertar em cheio o posicionamento deles. Quando se joga com mais pessoas no multiplayer local, isso acaba ficando um pouco mais fácil, já que tem muita gente ocupando espaço e aí você não se confunde tanto.

Essa diversão proporcionada por Mighty Morphin Power Rangers Mega Battle para se jogar com amigos ou familiares é o seu grande ponto positivo. Afinal, em um mercado onde é estimulado cada vez mais o multiplayer online, ter esta opção é bacana. Até porque jogar este game sozinho é bem mais difícil – e não tão divertido.

Apesar de as batalhas serem um pouco repetitivas, vale a pena fazer uma sessão de jogo com seus amigos que curtiam Power Rangers ou com seus filhos/sobrinhos que são novos e curtem games simples e divertidos como esse. Mas há outro ponto ruim para se destacar na jogabilidade.

O nível de dificuldade do jogo é alto, e não daquela forma gostosa de se conquistar seus objetivos mesmo com obstáculos. É bem chato em algumas ocasiões, porque caso você morra, terá que voltar para o início da fase. É frustrante não ter nenhuma opção de check-point ou save em um game desse tipo.

Público restrito

Por isso, apesar de ser um jogo que pode até oferecer uma diversão bacana, Mighty Morphin Power Rangers Mega Battle é um jogo Descartável. Ele funciona para uma parcela bem pequena do público do PlayStation 4: público infantil, grandes fãs que gostam de tudo da série e saudosistas do estilo beat-em-up.

E, mesmo assim, não são todas as pessoas que se identificam com as características citadas que irão achá-lo um bom game. Ele não chega a merecer um selo de Fique Longe porque não é péssimo. Tem pontos positivos, como retratar fielmente muitos momentos marcantes dos Rangers, os gráficos bonitinhos e os comandos simples.

Mas também não vai ser interessante para a maioria dos jogadores, nem mesmo com uma promoção – até porque o preço não é um problema, tendo em vista que o jogo é baratinho, custando apenas R$ 45,90. 

Thiago Barros
Thiago Barros
Editor-Chefe
Publicações: 1.861
Jogando agora: Far Cry 6
Jornalista, teve PS1, pulou o 2, voltou no 3 e agora tem o 4, o 5 e até o PSVR. Acha God of War III o melhor jogo da história do PlayStation.