Review

Infernax: vale a pena?

Inspirado em jogos dos anos 80, a aventura equilibra gameplay simples e dificuldade com sucesso, mas peca em algumas promessas

por Jean Azevedo
Infernax: vale a pena?

A Berzerk Studio misturou um pouco de nostalgia com gráficos em HD para dar vida à Infernax, um título inspirado nos jogos lançados na década de 80 com a intenção de ser um “game mítico” que toda criança gostaria de ter na época. E a produtora acertou em cheio na proposta.

A equipe do MeuPlayStation recebeu o título de forma antecipada e se aventurou no Ducado de Upel na missão de livrar o mundo de uma série de monstros ameaçadores. Testamos o game no PS5 por retrocompatibilidade, já que sua versão é de PS4.

Com uma jogabilidade simples, Infernax tem uma exploração interessante — capaz de frustrar o jogador em certos momentos —, e a evolução do personagem é outro destaque positivo. No entanto, a premissa de “decisões mudando os rumos da história” não surte tanto efeito quanto parece.

Derrote tudo e todos

A narrativa de Infernax mostrará os passos de um cavaleiro, com nome personalizável, que retorna para sua terra natal ao descobrir o atual estado de perigo. Uma magia obscura e corruptora tomou conta do Ducado de Upel e para desfazê-la, cinco gemas precisam ser quebradas.

Selo Infernax cinco perolas
(Fonte: Jean Azevedo)

Esses objetos místicos estão protegidos por criaturas mirabolantes e poderosas. Durante a aventura, a principal missão é abatê-las, desfazer o selo encontrado numa construção perto de Darsov e libertar os humanos desta praga. Para completar a tarefa, o guerreiro terá de usar sua maça para amassar a cabeça dos adversários.

Infernax - livro da lore
(Fonte: Jean Azevedo)

Gameplay e evolução do personagem são simples

Infernax é inspirado nos jogos clássicos dos anos 80, então, não espere mecânicas mirabolantes. Tirando o uso dos botões R2/L2 e R1/L1 para trocar feitiços e poções rapidamente, os comandos são muito simples. É pular, atacar e se movimentar para esquivar dos perigos, não tem mistério.

O começo do jogo mostra o cavaleiro chegando a Upel. Lá ele é apresentado ao sistema de decisões do jogo. As criaturas conseguem infectar os humanos e transformá-los em monstros, e um dos primeiros dilemas será salvar ou não um dos aldeões em sua frente — votando não, ele vira um monstro.

Infernax - escolhas
(Fonte: Jean Azevedo)

Depois de lidar com o início das tarefas, o primeiro save point, em forma de um altar, é exibido na cidade de Darsov. Ao salvar o jogo é possível gastar os pontos de XP ganhos ao abater as criaturas e completar quests, para aprimorar suas habilidades.

altar em infernax
Os altares são apresentados dessa forma, mas esse já está em um momento mais avançado do jogo (Fonte: Jean Azevedo)

Dessa forma, o personagem basicamente não tem um nível, mas seus status sim. Dá para melhorar sua força ao atingir os oponentes com golpes, sua vida para aguentar mais danos e sua mana, obviamente para lançar magias, feitiços e teleportar pelo mapa.

Aprendendo Skill em Infernax
(Fonte: Jean Azevedo)

Outro recurso obtido nas explorações são as moedas de ouro. Elas servem para adquirir equipamentos mais fortes como maças, poções de vida e mana, armaduras e até magias em determinados aldeias. Dependendo da dificuldade escolhida, quando o seu personagem cair em combate, parte da XP e do dinheiro serão perdidos.

Exploração de dar nos nervos

O mapa de Infernax é um pouco parecido com o de Hollow Knight. Portanto, para acessar algumas áreas, é necessário aprender uma habilidade aqui e outra ali ao conversar com os NPCs e ao derrotar criaturas. Mesmo com as skills garantidas, chegar a certos locais é uma tarefa ingrata.

Se os monstros não forem difíceis o suficiente para te parar, as mecânicas para caminhar até as demais cidades podem causar um pouco de raiva. As alavancas, plataformas giratórias e lustres que caem do teto e servem como plataforma para o guerreiro, instigam o jogador a se arriscar e errar.

Para piorar, o personagem não vai explorar apenas planícies e montanhas. Infernax te levará para cavernas, castelos submersos e fortalezas escondidas. Como em todo clássico desse gênero, pular de um bloco para o outro requer paciência, e tudo parece ser montado para te fazer achar fácil demais. Bela cilada.

Falando de cenários, é bom destacar o fato do mapa não ser tão extenso assim. É tudo bem direto, mas sem direção alguma para o jogador. Pelo menos, as áreas exploradas são marcadas automaticamente no mapa, sem necessidade de comprar pergaminhos ou coisas do tipo. Basta chegar ao local e pronto, ele aparece em suas anotações.

Infernax mapa
(Fonte: Jean Azevedo)

Um ponto positivo para a exploração fica para o fato dos jogadores precisarem se virar para descobrir como passar pelos obstáculos. Infernax não dá dicas, então cabe ao jogador, ao interagir com tudo oferecido pelo mundo do game, achar pistas para chegar aos chefes de cada bioma.

Falando em bosses, nos ambientes onde ficam, há uma espécie de padrão para acessar os aposentos. Sempre tem um caminho cheio de puzzles onde uma chave estará te esperando — sem encontrá-la antes, a passagem para desafiar o protetor do selo não será liberada.

Primeiro chefe de Infernax
(Fonte: Jean Azevedo)

Toda fortaleza conta com um altar do lado de fora. Assim, sempre que um dos grandões for abatido e o pergaminho amaldiçoado apresentado no início do jogo for abalado após o confronto, o aventureiro será automaticamente transportado para fora da dungeon.

Monstros diferentes surgem à noite

Infernax conta com criaturas diferentes de acordo com os biomas. Se você se dirige a uma área montanhosa, um tipo de ameaça virá ao seu encontro, mas se estiver explorando o subsolo, outra espécie inimiga será apresentada.

Essa diversidade de desafios é ainda mais rica quando aplicam uma mudança no estilo dos monstros de acordo com o horário. Algumas áreas do subsolo já são escuras por naturalidade, então não são afetadas, mas é perigoso andar em alguns locais à noite.

Infernax dia - Sol
(Fonte: Jean Azevedo)

Conforme o tempo avança, uma animação avisará a mudança de turno entre o sol e a lua. Se na luz do dia os monstros são resistentes a um certo número de ataques, à noite a coisa muda de figura. Os infectados e demais inimigos apresentados serão mais rápidos e ágeis, mas terão menos pontos de vida.

Infernax - noite
(Fonte: Jean Azevedo)

A parte onde os devs deslizaram

Alguns erros foram encontrados durante o gameplay. O cavaleiro não consegue lutar da forma correta se um dos soldados do reino estiver por perto. O comando utilizado para abater as tropas é o mesmo para abrir caixas de diálogos com os NPCs. Caso se encontrem ao lado do cavaleiro, eles abrirão uma conversa, interrompendo os golpes e prejudicando a jogatina.

Outra falha de Infernax, essa não de desenvolvimento, mas de proposta de jogo, é o fato do game não entregar total liberdade nas escolhas como mencionado. Não dá para decidir a ordem dos confrontos com os chefes, o acesso a eles é limitado às habilidades de exploração do personagem, então, existe um limite nesse quesito.

Ainda nessa de inovações prometidas, o fato das ações do guerreiro pesarem no futuro da narrativa não têm tanto impacto imediato assim. Salvar ou não uma pessoa, quebrar acidentalmente um sistema de barragem de uma cidade e inundá-la, não muda nada. Nem punição, nem elogio, parece que seus feitos, bons ou ruins, são esquecidos.

Infernax: vale a pena?

Infernax - altar
(Fonte: Jean Azevedo)

Pelo preço de R$ 99,50 na PS Store, caso tenha o dinheiro para o investimento, vale a pena sim. Infernax é desafiador, intrigante, prende e encanta pelo gameplay simples. Apesar de a campanha poder ser completada entre 4 e 5h, sua primeira tentativa deve se estender para umas 8-10h, principalmente até entender os atalhos.

É um jogo clássico, sem gráficos muito atraentes, mas com as mecânicas de exploração e de jogabilidade necessárias para entregar uma experiência agradável. Os devs da Berzerk Studios acertaram em cheio.

Veredito

Infernax
Infernax

Sistema: PS4

Desenvolvedor: Berzerk Studio

Jogadores: 1

Comprar na Amazon
80 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Gameplay com comandos simples
  • Lembra os jogos clássicos, mas tem mecânicas interessantes
  • É um game desafiador
  • Se virar para achar as pistas para chegar aos bosses requer atenção e astúcia
Desvantagens
  • Comandos se confundem nas batalhas onde os aliados estão por perto
  • Mecânica de escolhas impacta o fim do game, mas não tem consequências imediatas
Jean Azevedo
Jean Azevedo
Redator
Publicações: 2.294
Jogando agora: Returnal
Talvez eu goste mais de Marvel's Spider-Man do que deveria.