Review

Headmaster: Vale a pena?

Olha o que ele fez...olha o que ele fez...olha o que ele fez...

por Thiago Barros
Headmaster: Vale a pena?

Se o Brasil é o país do futebol, Headmaster é o jogo do brasileiro no PlayStation VR. Ele consiste de uma série de desafios onde o jogador tem que fazer gols de cabeça na fictícia academia de futebol Football Improvement Center. O game é exatamente aquilo que se espera de um jogo de realidade virtual: simples, eficiente e muito divertido.

Headmaster foi um dos primeiros jogos anunciados para o PlayStation VR, quando ele se chamava Project Morpheus, em 2015, e não decepciona o gamer. Não é à toa que na PlayStation Store dos Estados Unidos ele tem nota média de 4,5 em um máximo de 5. Confira abaixo o nosso review completo e entenda os motivos desse sucesso.

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

Esse, muito provavelmente, será um dos reviews mais curtos que você já leu aqui no Meu PS4. Headmaster é um game bastante simples: a cada rodada, o jogador tem um novo desafio de cabeçadas. É possível completá-lo com três níveis de sucesso: uma, duas ou três estrelas. Quanto mais, melhor, é claro.

Tudo começa bem “normal”, com você apenas tendo que acertar o gol e alguns alvos que lhe dão pontos bônus. Mas as coisas vão ficando mais difíceis, com obstáculos e itens diferenciados, que vão aparecendo com mais frequência. Conforme você passa dos níveis comuns, libera os “Exams”, que são grandes testes.

Apenas completando estes testes, que são desafios bem mais difíceis do que os que você joga normalmente, é possível “se formar” no Football Improvement Center. Este, basicamente, é o conceito do jogo. Agora vamos falar de como isso é na prática, com um óculos de realidade virtual no seu rosto.

Quando você coloca o PlayStation VR e inicia o game, não precisa nem pegar mais no DualShock. Todos os controles são feitos com movimentos da cabeça, o que é bastante interessante para a experiência imersiva da realidade virtual. Há um tutorial que explica como o gamer deve se movimentar para cabecear corretamente.

1
É preciso cabecear no momento certo. Fonte: divulgação.

Tudo começa, aliás, com você aprendendo o “Movimento Perfeito de Cabeçada”, logo na primeira fase do jogo. Depois disso, é preciso entender como a maneira como você “acerta” a bola faz toda a diferença. Se você joga futebol, sabe que a bola pode reagir de várias maneiras em uma cabeçada.

Se você cabeceia com a testa, ela pode ir reto. Se pega aquele impulso e movimenta a cabeça para baixo, ela vai descer. E se bate com a parte mais de cima, ela sobe. O seu ângulo para a bola e a força com a qual bate nela também são fundamentais. Tudo isso é igualzinho no Headmaster.

É preciso suar a camisa. Literalmente!

O jogo é muito mais do que acertar as bolas. É acertar as bolas com movimentos, força e direção certas. No início, parece bem fácil. Mas quando os níveis vão subindo, passa a ser uma missão mais complicadinha – apesar de que conseguir uma estrela somente para avançar para a próxima fase, normalmente, é moleza. São mais de 40 levels.

Só que você vai precisar suar a camisa se quiser “se graduar”. Literalmente. Com tantos movimentos de cabeça, é bem provável que a pessoa não aguente mais de 40 minutos a uma hora jogando direto. O suor começa a incomodar e a embaçar a visão do PSVR. Com o tempo, você vai tendo que dar umas paradinhas por causa disso.

2
Você vai subindo de nível. Fonte: divulgação.

Além disso, é importante demais ficar ligado ao posicionamento em relação à câmera. Como a PlayStation Camera não tem o melhor dos rastreamentos, leves mudanças de posição fazem com que você possa ficar mal posicionado para cabecear. Portanto, se policie – ou tenha o DualShock próximo para centralizar novamente a tela.

Graficamente, Headmaster também agrada. O visual do campo é bem feito, o quarto do atleta no Football Improvement Center também. Tudo é bem detalhadinho, no nível que se espera de um bom jogo do PlayStation VR. Tecnicamente, ele não tem problemas a serem destacados. A narração bem humoradas dos níveis também é ótima.

Outro atrativo do Headmaster que faz com que ele seja uma experiência ainda mais legal no PlayStation VR é o Party Mode. Ele permite que até seis pessoas joguem no mesmo console, em um modo onde você joga, depois passa os óculos para o amigo. Também é bastante divertido jogar dessa forma.

Veja um exemplo de gameplay, protagonizado pela equipe do PlayStation Access:

Golaço!

Por tudo isso, Headmaster vale os US$ 19,99 que são cobrados por ele na3 PlayStation Store americana. O jogo é um golaço da Frame Interactive Studio e uma das melhores experiências que tive no PlayStation VR. É exatamente o que eu esperava que tivesse com os óculos de realidade virtual da Sony.

Thiago Barros
Thiago Barros
Editor-Chefe
Publicações: 1.935
Jogando agora: Ghostwire Tokyo
Jornalista, teve PS1, pulou o 2, voltou no 3 e agora tem o 4, o 5 e até o PSVR. Acha God of War III o melhor jogo da história do PlayStation.