Review

GRID Legends: vale a pena?

Variedade de veículos e visual dos cenários durante o gameplay impressiona, mas falta de profundidade no modo história deixa a desejar

por Jean Azevedo
GRID Legends: vale a pena?

GRID Legends é a nova aposta da Codemasters para fidelizar os fãs de automobilismo. Com direito a novos modos de jogo, visuais muito bem trabalhados e uma física aprimorada em relação aos demais lançamentos da franquia, o título apresenta uma fórmula já conhecida e não abandona o DNA da série.

O MeuPlayStation testou o game antes do lançamento, na versão para PlayStation 5, e destacaram-se bastante as interações com o DualSense e o processamento gráfico do divertido “simulador/arcade”. Duas palavras podem definir as suas principais qualidades: diversidade e liberdade.

Em GRID Legends, os amantes de velocidade terão acesso a mais de 100 carros e percorrerão 22 locais ao redor do mundo nos torneios. Opções de diversão não vão faltar, e abaixo você confere o que mais ele tem para oferecer. Sem pretensão de ser um game super realista, ele aposta justamente nisso para conquistar ainda mais jogadores.

Gameplay é divertido com qualquer veículo

GRID Legends praticamente repete a proposta do título lançado em 2019, mas três anos de diferença parecem ter sido o suficiente para algumas inovações interessantes. No geral, o jogo ainda tem a mesma “vibe arcade”, mas não parece buscar a seriedade de um F1 ou Gran Turismo — e isso é um acerto para atingir um maior público.

A jogabilidade pode apresentar algumas alterações, principalmente em relação ao traçado exibido na pista indicando a melhor rota para ganhar vantagem nas arrancadas, curvas e grandes retas. Nos modos mais difíceis, essa linha imaginária não é exibida.

GRID Legends - corrida
(Fonte: Jean Azevedo)

Com ou sem o auxílio, os jogadores terão de apresentar um desempenho digno para receber melhores recompensas ao fim da partida. A colocação no pódio entre os três primeiros é importante, mas os momentos da corrida são ainda mais relevantes na hora de contabilizar os seus feitos.

Afinal, GRID Legends conta com um sistema capaz de contabilizar suas manobras, perseguições aos veículos adversários (vácuo), colisões e a habilidade de escolher o melhor caminho (basicamente seguir o traçado) para se sobressair frente aos demais.

GRID Legends - pós corrida
(Fonte: Jean Azevedo)

Essas pontuações geram moedas, que podem ser utilizadas para aprimorar sua equipe, comprar (ou alugar) carros e ainda aprimorar o desempenho da IA dos seus companheiros. Mas é bom ficar atento ao estado final do carro: sua equipe tem que arcar com o conserto e esse preço sai do seu bolso, descontando nos ganhos pós-corridas.

Pós corrida GRID Legends
(Fonte: Jean Azevedo)

Conforme o jogador progride no modo campanha ou no Rumo à Glória, a diversidade de automóveis e modalidades é uma surpresa grata. É possível pilotar caminhões, carros de passeio, modelos esportivos e até os “open wheels race cars”, com um visual no estilo Fórmula 1.

Obviamente não dá para se acostumar com todos, mas no fim das contas acabamos desenvolvendo uma preferência pessoal por uma das divisões apresentadas. Aí é que entra o tal modo de criação de corridas. Lá, além de escolher as pistas e quais os veículos podem disputar seus torneios personalizados, é possível adicionar buffs de velocidade, obstáculos e outros elementos ao trajeto.

GRID Legends fisica
(Fonte: Codemasters)

Por último, mas não menos importante, não dá para deixar de falar da física de GRID Legends e como ela impacta na jogabilidade. Cada máquina tem sua particularidade e consequentemente pesos, velocidades máximas e dirigibilidade diferentes.

No geral, os devs conseguiram transmitir diferentes sensações ao pilotar cada um dos possantes. Independente do circuito, dá para compreender os limites de arrancada, como se comportam nas curvas e o equilíbrio durante a performance no asfalto.

Errou? Tente outra vez…

GRID Legends traz uma mecânica interessante — presente nos lançamentos anteriores da franquia — onde os jogadores podem “voltar no tempo” para evitar colisões, conseguir um pouco mais de velocidade em um trajeto mal executado ou até para se vingar de seus “Nemesis” — título dado aos pilotos que trombam com você durante os torneios.

Flashback GRID Legends
(Fonte: Jean Azevedo)

Essa habilidade chamada de Flashback é acionada ao apertar o botão triângulo. Existe um limite de uso estipulado em três tentativas de reposicionamento. Ao pressionar o comando, o jogador voltará no tempo e poderá escolher o momento exato para retornar à ação. Isso também torna o gameplay mais amigável para quem não é dos maiores especialistas em jogos do tipo.

Modos de jogo offline podem ser repetitivos

Logo ao ligar GRID Legends, os jogadores dão de cara com o modo Rumo à Glória, algo aparentemente inspirado na saga de Aiden no F1 2021. Lá, será necessário lutar para subir das divisões amadoras até as profissionais enquanto os carros e seus respectivos motoristas são aprimorados.

Essa sequência é basicamente a mesma no modo Campanha. A diferença fica apenas para a presença ou não de um contexto durante as disputas, pois no final das contas, basta enfrentar uma série de desafios e subir de divisão para chegar na elite e tentar o triunfo.

Obviamente, fazer isso do jeito tradicional (via modo campanha) demora mais um pouco. Enquanto na História são cerca de 30 circuitos para fechar 100%, o outro tem um número bem maior de etapas a serem cumpridas para chegar no topo. Como eles têm pegadas que são bastante semelhantes, pode ser que se tornem repetitivos para alguns jogadores.

Especialmente porque o Rumo à Glória, o “Modo História”, tem uma narrativa muito clichê para o universo automobilístico. O jogador embarca na saga de um jovem piloto, sem experiência para competir entre os profissionais, e precisa “provar que merece estar entre os melhores”. Já viu esse filme? Nós também.

GRID Legends - conversa modo história
(Fonte: Jean Azevedo)

Além de um pouco genérico, acaba ficando enjoativo no desenrolar dos eventos – e até meio “maluco”. Por exemplo: conforme subimos de ranking e nos aproximamos da elite do esporte, uma série de rivalidades sem sentido começam a surgir.

Resumindo, é só uma competição com objetivos pré-determinados onde nós temos pouquíssima influência — mesmo se optarmos ficar batendo de propósito nos carros adversários nada muda, nós tentamos.

DualSense funciona bem, mas depende…

Durante o gameplay de GRID Legends, a variedade de carros e a possibilidade de disputar corridas em diversos circuitos, entregam uma série de sensações no DualSense. Infelizmente, nem todos interagem tão bem com o controle do PS5. A intenção da Codemasters parece ser explorá-lo de acordo com o torque nas curvas, mas não é em todos os momentos que isso funciona bem.

Quando o motorista tem de fazer uma freada brusca, aciona os gatilhos adaptáveis perfeitamente nos melhores carros do game. Porém, a experiência não é tão completa assim nos veículos menos potentes. O R2 e o L2, acelerador e freio respectivamente, ficam mais leves ou pesados dependendo da ação, mas a limitação dos automóveis interfere no “pedal” simulado nos botões.

Seria mais interessante eles serem acionados de acordo com as capacidades individuais do veículo, por exemplo. Aí seria perfeito…

GRID Legends carro preto
(Fonte: Codemasters)

Ainda falando do PS5, há um modo de resolução padrão (sem informações compartilhadas pela dev dentro do título) onde é possível jogar a 120 FPS, mas a taxa de quadros não era ao menos selecionável no menu — mesmo com um monitor e configurações compatíveis. No console, as telas de carregamento são bem rápidas e não houve problemas de desempenhos gerais ou gráficos.

Recurso de criação de corridas é interessante

Ao longo da jogatina de GRID Legends, os jogadores provavelmente já terão construído o seu gosto por um tipo de corrida específico ou mais afinidade a um certo tipo de automóvel. Para curtir um gameplay do seu jeito, a Codemasters apresentou uma opção para deixar a comunidade criar seus próprios circuitos.

GRID Legends modos de jogo

A ferramenta funciona bem, mas o número de elementos adicionais, como rampas e buffs de impulso, é tão limitado quanto o apresentado nos modos normais, então, sem muito espaço para exibir tanta criatividade assim — afinal de contas, é GRID não Hotwheels, certo?

GRID Legends: vale a pena?

Se você é fã da franquia e só quer se divertir em um novo lançamento da série, GRID Legends é uma boa opção para se ter na biblioteca, no entanto, se está buscando uma experiência mais realista menos focada no arcade, é bom olhar para outras opções do mercado. A Codemasters entregou um game divertido e bem diverso.

Infelizmente, não foi possível testar os servidores online do título, mas a empresa prometeu sessões com mais 22 pilotos e crossplay entre PlayStation, Xbox e PC.

Veredito

GRID Legends
GRID Legends

Sistema: PS4/PS5

Desenvolvedor: Codemasters

Jogadores: 1-21

Comprar na Amazon
75 Ranking geral de 100
Vantagens
  • Jogabilidade divertida
  • Diversidade de escolhas
  • O modo de criação, mesmo com limitações, é um recurso interessante
  • Legendas e menus em PT-BR
Desvantagens
  • Modos offline têm a mesma proposta
  • Rumo à Glória não é tão imersivo assim
  • Interações com o DualSense poderiam ser melhores
Jean Azevedo
Jean Azevedo
Redator
Publicações: 2.294
Jogando agora: Returnal
Talvez eu goste mais de Marvel's Spider-Man do que deveria.