Notícias

Sucker Punch explica todo o processo de arte conceitual de Ghost of Tsushima

Exposições de museus, filmes de samurais antigos, fotos de Tsushima e a própria cultura japonesa foram as principais inspirações da equipe

por Vítor Amorim Heringer
Sucker Punch explica todo o processo de arte conceitual de Ghost of Tsushima

Em uma postagem no PS Blog, o artista-chefe de Ghost of Tsushima, Ian Jun Wei Chiew, detalhou como foi todo o processo de criação da arte conceitual do jogo ambientado na Ilha de Tsushima, em 1274, durante o período da invasão Mongol. Ele revelou quais foram as principais inspirações da equipe de desenvolvimento.

Começamos nos expondo ao máximo de pesquisa e conteúdo que podíamos sobre a Era Kamakura, a cultura japonesa, os antigos filmes de Samurai e a Invasão de Tsushima, o que levou aos designs finais de nossos personagens, roupas, paisagem, arquitetura etc. Muitas das referências que reunimos foram de exposições de museus e fotos tiradas por equipes que o estúdio enviou para Tsushima, bem como para a ilha principal do Japão.

Para o protagonista Jin, Chiew contou que tentaram explorar diferentes lados do personagem e que precisavam destacar o seu lado “ghost”, ou seja, ele não era um samurai tradicional. Dessa maneira, abordaram diversos conceitos para que as roupas pudessem retratar esse sentimento para todos que estavam jogando o Ghost of Tsushima.

Tivemos um pouco mais de liberdade criativa na criação de roupas que ajudaram a vender a fantasia de samurai… Como o vento desempenha um papel importante em nosso jogo, sempre garantimos partes da roupa que reagissem ao vento, como capas e borlas. Isso ajuda a fazer os personagens se sentirem mais conectados ao mundo.

O artista também destacou a importância da criação do vilão do jogo: o Khotun Khan. O personagem é definido como um “líder inteligente e implacável” e precisaram mostrar isso na sua caracterização, seja com armaduras, porte físico e expressões faciais.

Além disso, os belíssimos ambientes externos de Ghost of Tsushima foram detalhados pelo Chiew, e que foi complicado de descobrir a linha tênue entre o historicamente correto e o estilo próprio dos artistas.

‘Realista’ não é uma palavra que gostamos de usar aqui, nosso objetivo era garantir que o jogo tivesse um senso de estilo, mesmo que estivéssemos fazendo um épico histórico. Queríamos criar um mundo que se parecesse com o Japão de 1274, mas ao mesmo tempo ser mais expressivo com ele. Isso veio em muitas formas, como escolhas de cores ousadas, temas de ambiente austeros, configurações impressionantes para o jogador topar, etc. Em geral, o jogo é, muitas vezes, uma versão atenuada dos conceitos.

Por fim, a identidade visual do jogo é retratada como uma estética “moderna e clássica”. A ideia inicial era lembrar o estilo e as cores de objetos da época, mas adicionar novos conceitos que fizessem Ghost of Tsushima se diferenciar. Cartazes de filmes de samurai antigos, design gráfico moderno e tradicional e embalagens foram as principais inspirações da equipe de arte visual do jogo.

Artes conceituais do protagonista Jin e seus aliados

Ghost of Tsushima 1 2 3 4 5

6 7 8 9 10 11

Artes conceituais do Khotun Khan

12 13 14

Artes conceituais dos ambientes

15 16 17 18

Artes conceituais da identidade visual

19 20

Receba as novidades do meuPS no email

Nós não enviamos spam :)

Ao clicar em receber novidades você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade. Você pode optar por parar de receber os emails a qualquer momento.