Notícias

80% do faturamento da PlayStation vêm de serviços, jogos e periféricos

O PS5 também está perto de seu breakeven, ou seja, a Sony terá estabilidade nos prejuízos que o console causa em seus primeiros momentos no mercado

por Valdecir Emboava
80% do faturamento da PlayStation vêm de serviços, jogos e periféricos

Segundo a Sony, 80% do faturamento da PlayStation vêm da venda de serviços, jogos e periféricos. Isso mostra como a empresa soube diversificar seu negócio.

Os detalhes podem ser vistos nos gráficos representados abaixo. Os círculos da direita mostram que os consoles representavam 48% das receitas do ano fiscal de 2013. Com a popularização de seus serviços e principalmente dos jogos exclusivos da casa, as vendas dos aparelhos diminuíram para 20% no ano fiscal de 2020. Os dados evidenciam que o forte da PlayStation é o leque de opções que ela oferta para manter os usuários ativos em suas plataformas.

Gráficos de documento que explicam as receitas da Sony.
O gráfico da direita mostra que 80% do faturamento da divisão de jogos ano fiscal de 2020 vieram de serviços, jogos e periféricos. (FONTE: Reprodução/Sony)

Já o gráfico do lado esquerdo mostra outros detalhes interessantes sobre o faturamento da PlayStation. O PS5 está prestes a chegar ao seu breakeven, ou seja, a gigante japonesa vai parar de perder dinheiro com o console de nova geração e chegará ao ponto de equilíbrio, quando os custos “empatam” com as receitas.

Sendo assim, a empresa vai chegar em um momento que não vai perder e nem ganhar — abrindo espaço para projeções de ganhos daqui para frente.

Sony pretende transformar marca PlayStation em um ecossistema robusto

Na mesma reunião com investidores em que o documento foi divulgado, a Sony também revelou que planeja transformar a marca PlayStation em um ecossistema robusto. A empresa deseja que o seu setor de games não seja reconhecido apenas pelos consoles, mas por uma série de serviços em conjunto. Confira os detalhes!